B3SA3 - B3 e Cetip, antiga BVMF3

https://braziljournal.com/na-b3-a-heranca-maldita-do-marka-e-do-fontecindam

Bem interessante, se acontecer dela mudar o status para provável no futuro, virá um prejuízo contábil altíssimo mesmo que a multa seja reduzida ou considerada improcedente depois, provavelmente alguns anos de lucro atual. Não sei como ficariam os dividendos, se o estatuto só distribui quando existe lucro, ou se é baseado no caixa. O impacto no lucro seria provavelmente muito pior que o no caixa, imagino que haveria ainda recurso, parcelamento, mas na provisão teriam que reconhecer a lapada de uma vez

O processo em si parece meio idiota, e a culpabilidade da B3 não parece muito clara, eu diria? Mas não entendo nem o que aconteceu sem ser em termos genéricos

1 Curtida

Não entendo essa b3. Esse yield não é muito elevado para o p/l dela?

1 Curtida

A janela que ele está olhando é favorável por não ser o ano calendário, então está meio que somando praticamente todo o dividendo de 2020/2021 YTD, anos de lucro recorde (no início da pandemia todo mundo represou dividendos). Está dando uma distribuição de 1,03 nos últimos 12 meses. Em 2019, por exemplo, ela distribuiu só 0,38, e é daí para baixo no histórico. Se você achar que ela vai manter o lucro recorde de 2020 e o payout de 127%, seria 0,71 e uns 5% de yield/ano

image

Isso sem nem considerar a possibilidade do ciclo virtuoso da bolsa estagnar, e a empresa ter piora nos resultados, ou qualquer dos outros possíveis problemas (concorrência, esse processo aí, etc)

4 Curtidas

Essa questão dessa possível dívida eu não sabia por isso vinha apostando forte na empresa que em termos gerais deve manter crescimento pois nos últimos cinco anos vem crescendo muito conhecimento financeiro através da internet e com esse conhecimento pessoas querendo diversificar. Vou segurar meus aportes na empresa no momento mas não vou me desfazer da posição

1 Curtida

4.1. Com base no artigo 57 do Estatuto Social, aprovar o pagamento, aos acionistas da
Companhia, (i) de juros sobre capital próprio, no valor total de R$268.500.000,00,
equivalentes ao valor bruto de R$ 0,04426743 por ação, que se dará pelo valor líquido de
R$ 0,03762732 por ação, já deduzido o Imposto de Renda na Fonte de 15% sobre o valor,
exceto para os acionistas que tiverem tributação diferenciada ou que estejam dispensados
da referida tributação e (ii) de dividendos, referentes à apuração do resultado do 2º
trimestre do exercício social de 2021, no valor total de R$ 913.335.600,00, equivalentes
ao valor de R$ 0,15058108 por ação, sendo que:

4.1.1. o montante ora distribuído a título de juros sobre capital próprio, na forma do artigo
9º da Lei nº 9.249/95, será imputado aos dividendos obrigatórios do exercício social de
2021, conforme legislação aplicável;

4.1.2. os valores por ação são estimados e poderão ser modificados em razão da alienação
de ações em tesouraria para atender ao Plano de Concessão de Ações da Companhia ou
outros planos baseados em ações, ou ainda em razão de aquisição de ações no âmbito do
Programa de Recompra;

4.1.3. o pagamento acima referido será realizado em 07 de outubro de 2021 e tomará
como base de cálculo a posição acionária de 28 de setembro de 2021; e

4.1.4. as ações da Companhia serão negociadas na condição “com” até o dia 28 de
setembro de 2021, inclusive, e na condição “ex” juros sobre capital próprio e dividendos
a partir do dia 29 de setembro de 2021.

4 Curtidas

4 Curtidas