Formação de carteira pra renda mensal

Senhores,

Novatinho aqui publicando, mas já li muitas coisas por aqui.

Estou numa situação delicada, então queria discutir estratégia com vcs. Tenho uma perspectiva de em curto prazo ficar desempregado, então queria ver a melhor estratégia pra investir a economia que tenho gerando valor mensal pra me manter.

Minha ideia inicial é deixar minha carteira focada em FII, recebendo aluguel mensal e preservando o principal com a valorização das cotas. Acham que é uma boa, nessa situação, focar só em FII?

Atualmente tenho HFoF11, BRCR, BRCT. Quais me recomendariam para estudar, que me de um bom retorno mensal?

4 Curtidas

Acho uma boa estratégia sim.
Diria para dar uma olhada na carteira de Fiis que temos na nossa área do Express da Penserico.
Ativos como Foft, Xplg, Maxr, Jsre ainda estão com bons preços.

4 Curtidas

Ficaria de olho nas ofertas públicas pra comprar FIIs mais descontados também.

Primeiro, boa sorte… espero que dê tudo certo…

  1. Sobre FIIs:
  • Procura fundos que tenham contratos longos, atípicos…
  • Não te preocupa muito com o yield… os de yield alto tem um risco alto…
  • Gosto de XPML11… bem gerido, redondinho, está em um preço ok… Gosto tb de ALZR11, contratos longos, atípicos, seleciona só bons pagadores… boa gestão…
  • Evita os que fazem coisas muito arriscadas… esses vão pagar maior yield, mas acaba tendo um potencial risco que tu não deve estar disposto agora a passar… Ah, estuda XPCM11 e FIGS11 … Não para comprá-los, mas para saber do que fugir! Cases recentes bem interessantes!
  • Talvez alguns FIIs de papel possam ser interessante… servem como uma renda fixa. Gosto do KNIP11, mas está meio caro agora. Esses tem uma correlação maior com renda fixa e bom yield, apesar de não ter valorização da cota.
  • Evite fundos de desenvolvimento
  • Evite pagar imposto!!
  1. Reserva de emergência em renda fixa… CDB 100% liquidez diária… ou bons fundos de renda fixa (ex. AZ Quest Luce)… Tem gente que deixa reserva de emergência em FII, mas não aconselho… Também, sempre é bom ter um pouco de capital para mobilizar no caso de bonus de subscrição, etc…

  2. Consideraria ações de empresas que são boas pagadoras de dividendos e com receita previsível… algo que tenha um DY de 6% ou mais, em especial elétricas, e alguns bancos… Dessas, TAEE11, TIET11, ENBR3, ITSA4 e ABCB4. Associado a isso vale a pena fazer um bom planejamento tributário… exercendo lucro e/ou prejuizo contábil todo o mês (aproveite as vendas isentas até 20.000).

  3. Estratégia:

  • Bem… primeiro tente ver o quanto tu consegue reduzir seus gastos. Assim como, como tu vai estar se reposicionando no mercado, ou adquirindo habilidades… ou fazendo trabalhos causais para ter um ganho extra.
  • Evite economizar em algumas coisas como “plano de saúde”, seguro do carro (se tiver e for manter), etc. É um risco maior do que renda variável estar sem…
  • Tente estimar tuas despesas mensais… deixaria pelo menos 6x os gastos em algo de liquidez diária, pagando CDI.
  • Fora isso, talvez algo entre 80% de FIIs e 20% ações de bancos e elétricas.
  • Algo entre 20 papéis, cada um com cerca de 5% da carteira.

Abraço

13 Curtidas

Única ressalva é a possível tributação dos dividendos dos FIIs.

Se isso acontecer, o rendimento mensal vai cair o equivalente ao imposto a ser cobrado (provavelmente 20%).

Além disso, o valor das cotas sofrerá um ajuste de mercado equivalente. Não dá pra saber quanto, mas a última vez que ameaçaram tributar os FIIs o IFIX caiu cerca de 30%.

1 Curtida

Não lembro exatamente de cabeça, mas não foi nem de perto este valor. Deve ter sido uma queda de uns 6 a 8%.

1 Curtida
2 Curtidas

Obrigado pelo retorno. Foram boas dicas, vou analisar todas e traçar a melhor estratégia.

Minha sorte é que tenho uma boa reserva financeira, mais um apartamento que posso vender e aplicar para dar um retorno a mais por mês. E ainda devo ter um tempo empregado.

Quanto a queda do preço dos FIIs, em caso de tributação, é um risco e oportunidade tb. Deixar um dinheiro em renda fixa para aproveitar essas oportunidades sempre é bom.

Ações ainda tenho receio de investir. Já fiz algumas operações, não tive um bom retorno. Minha experiência me mostrou que a melhor forma é pensar ao longo prazo e análise fundamentalista com paciência. Da época que comecei a investir, se tivesse tido mais paciência, teria um ganho muito grande atualmente.

Vou analisar todas as sugestões de FIIs dadas. Parece que é o melhor caminho pra mim no momento, pois junta um bom retorno mensal com certa proteção do capital principal, com um risco menor que o mercado de ações.

1 Curtida

To louco então hehe. :crazy_face:

Mas se o pessoal for tentar compensar 1 pra 1 o DY perdido, a cota cai o valor da tributação num primeiro momento.

Espero que fique nessa ordem de 6~8% mesmo. :wink:

espero q vc acerte e caia 30% mesmo !!

Estou aproveitando as subscrições que apareceram.

Montando a carteira:

MAXR11
XPML11
HFOF11
BTCR11
BRCR11

Queria entrar no Iridium. Gosto da idéia de fundos de papéis, me parece dar mais confiablidade e dinâmica ao fundo. Só que não entrei semana passada, achando que pegava um preço melhor. Hoje disparou para 119 :-(.

O que me deixou com essa dúvida. Por que você falou que não os de papéis não tem valorização de cota?

Olá,

Geralemente fundos de papéis eles mantém o montante e o juro vai sendo pago…
Digamos, que o fundo de tijolo tem 100.000.000 em CRI, e no ano rende 10.000.000 de juros… os 10mi são distribuidos como yield… O valor do patrimonio segue sendo os 100 milhões.

Agora um fundo de tijolo tem um imóvel de 100.000.000. No ano ele tem 10.000.000 de aluguel… esses 10 mi são o yield… Mas o imóvel não necessariamente vale 100 milhões… pode ter valorizado (inflação, local)… em alguns casos, pode ter desvalorizado (depreciação, etc)… Os palpites é que seguiria a correção da inflação, mas não dá pra saber… temos menos de 10 anos de mercado maduro de FII no Brasil, e a maior variabilidade no valor dos imóveis é decorrente dos ciclos imobiliários e nao a correção inflacionária…

Agora, esses CRIs geralmente são referenciados a indice+%… a maioria dos fundos de papel tem CRIs com IPCA+6% a 7%… livre de imposto… E prazo de 10 anos…

Bem, se os juros caem, e tu tem um papel com um juro maior do que o que está agora, o ‘preço’ da cota sobe… que nem a marcação a mercado dos títulos do tesouro… Ou seja, digamos que a cota é 100, e com isso te dá 10%aa… A Selic caiu para 5%… quem tem uma cota de um fundo não vai te vender por 100… vai vender por 105, 106… e vai ter mais gente querendo comprar do que gente querendo vender… mas o patrimônio do FII continua igual, as pessoas estão dispostas a pagar mais pois a geração de caixa é maior!

Pra mim FII de papel é quase tão renda fixa como um debenture ou tesouro atrelado ao ipca

Fez sentido??

Abraço

1 Curtida