INTB3 - Intelbras

Tópico criado para postagem de discussões e informações sobre a intelbras.

Site da empresa: https://www.intelbras.com/
RI: https://ri.intelbras.com.br/

O início das negociações das ações da Intelbras ocorreu em 04/02/2020, sendo precificada em R$ 15,75 na sua IPO. Na sua estreia as ações fecharam com alta de cerca de 25% na cotação de R$ 19,74.

Maior parte da oferta foi primária (cerca de 64%). Estava precificando um crescimento médio anual de cerca de 19% para os próximos 5 anos. 36% dos recursos serão usados para aquisições, 26% para expansão da capacidade produtiva, 21% para investimento em CAPEX (basicamente em Serviço de Locação de Produtos) e 17% para expansão de canais internos verticais e de varejo (expansão de times e investimentos em tecnologia da informação). Empresa com endividamento líquido negativo, ou seja, tem caixa líquido. Isto reforça que após a oferta os recursos devem ser usados totalmente para o crescimento.

Apenas 22% das ações (72 milhões, cerca de 1,4 bi de reais na atual cotação) da empresa estão em circulação. A maioria dos sócios não diminuiu sua posição e estão totalmente no controle da companhia! Valor de mercado atual de cerca de 6,3 bilhões de reais.

Cotação atual: R$ 19,29
P/VP: 4,42
P/L: 32,84
PSBe: R$ 13,22 (-31,47%)
FCD com 3% de perpetuidade, 8% taxa de desconto e 25% de taxa de crescimento para os próximos cinco anos: R$ 29,79 (+54,42%).

Na minha opinião os múltiplos não estão baratos, mas também estão longe de estar caros. Tudo vai depender da capacidade da empresa de crescer…

Na hora de investir é muito importante avaliar a relação risco X retorno; então se a empresa continuar neste ritmo eu vou estar posicionado numa empresa com um P/L em torno de 30 (27 ao preço da IPO) com boa lucratividade, com produtos bastante promissores, com caixa líquido de cerca 140 milhões (não considerei os recursos da IPO que devem ser usados para expansão dela) e assim pode investir tudo que recebeu na oferta no seu crescimento. Já se as aquisições derem resultados, gerarem sinergias e seus produtos com melhores margens continuarem evoluindo o retorno pode ser alto.

O que me chamou atenção na empresa:

  • Potencial de Retorno: Apenas 72 milhões de ações no mercado (22% do total), que é muito pouco dado o tamanho da empresa. Existem ainda 10,8 mi de ações suplementares (oferta secundária) disponíveis para o “Agente Estabilizador” (Itaú), o qual pode optar por exercer sua opção em até 30 dias, neste caso teríamos 82,8 mi de ações no mercado (25% do total) equivalente a 1,6 bi de reais. Assim, se a estratégia da empresa der certo vai faltar liquidez para quem quiser abrir posição;
  • Resiliência: Empresa de Santa Catarina (WEG… :rofl:) que atua desde 1976 e sobreviveu a tudo de pior que se pode imaginar que poderia acontecer no Brasil: ditadura, hiperinflação, confisco de poupança, Plano Real, hipervalorização do dólar, desvalorização do dólar, quebra da Argentina, apagões de energia elevando os custos, 2 impeachment e etc;
  • Operação: Olhando os últimos resultados, percebe-se que a empresa está relativamente bem operacionalmente, boas margens (Bruta 35-37%; Ebitda 12-14%; Líquida 11-12%), bom ROIC (43-47%). Além disto, em 2019 a empresa efetuou aquisições da Seventh e da Metalúrgica Décio, onde o CAPEX saltou de 35 mi para 121 mi. Provavelmente as sinergias destas aquisições devem ser capturadas nos próximos anos;
  • Qualidade: NPS de 60, que é bom. ReclameAqui com nota 8,9; sendo que respondeu 100% das reclamações, com índice de solução de 89% e 87% das pessoas que reclamaram (imagina quem não reclamou :rofl:) voltariam a fazer negócio com a Intelbras. Pesquisas apontaram que 71% das pessoas já compraram produtos dela e 84% a preferem em relação aos competidores;
  • Setor Segurança com Tecnologia: Atuação no setor de segurança, que tende a apresentar bom crescimento no país nos próximos anos mesmo considerando aumento da concorrência. Forte investimento nos mercados de serviços de tecnologia em segurança eletrônica, com softwares de monitoramento de imagens e, inclusive, é citado no prospecto que o foco das aquisições será no desenvolvimento de tecnologia e integração de sistemas. É importante lembrar ainda que em breve deve sair o Estatuto da Segurança Privada, o que deve favorecer a Segurança Eletrônica;
  • Diversificação de Produtos: mais de 1300 produtos. Destaques para produtos relacionados à: controle de acesso, segurança eletrônica, redes, comunicação e energia;
  • Tecnologia: fabricação de racks para redes, reconhecimento facial, acesso de carro via tag, videoporteiro, fechadura digital, desenvolvimento de vários softwares (28, se não engano; daqui podem surgir muitas surpresas positivas) em algumas áreas de atuação e etc;
  • Investimento em Energia Solar: mercado em ampla expansão e a empresa tem bastante interesse, afinal já tem relacionamento com vários clientes que são público alvo. Acho que aqui pode ser onde a empresa pode mais crescer (e já tem crescido de 2017 até 2019).

Maiores riscos: falhas de segurança (algo que não se pode prever), dolarização dos custos (cerca de 80%), aumento da competição (este eu acho o menor, porque os produtos mais baratos são piores que os da Intelbras, e uma queda do dólar baixaria seus custos, apesar de permitir aumento da concorrência), marketing share muito alto em alguns setores (limitando sua expansão nestas áreas) e grande necessidade de inovação tecnológica. Além disto é uma empresa com histórico de conservadorismo que a partir de 2019 começou a buscar crescer em áreas complementares às áreas em que já atua.

Minha estratégia foi entrar com 50% do que quero me expor nela, separando mais 2 aportes de 25% cada para serem feitos em caso de surgir grande oportunidade de entrada ou após eu avaliar a evolução da empresa ao longo deste ano.

7 Curtidas

Estou de olho nela. Não tem aquele glamour de um IPO do setor de internet, talvez apanhe um pouco neste início, mas aparenta ser uma empresa resiliente.
Acho interessante comparar com a Positivo Tecnologia (excluindo a parte de celulares e computadores). De acordo com os últimos resultados, creio que a Intelbras parece superior na maioria dos indicadores, exceto no P/VP. Destaco a constância de resultados nos últimos anos, que não existe no caso da POSI3.

2 Curtidas

Boa tarde. Tenho uma dúvida, talvez alguém possa ajudar:
Fiz uma reserva de IPO na Intelbras, no entanto a reserva foi cancelada pela B3. Motivo: não atingiu o ponto de corte mínimo que foi de 25 mil, pois arrecadaram muito mais que esperavam. Ou seja quem fez uma reserva menor do que 25 mil não levou nada no rateio. Fiz
uma reserva de 10 mil e não levei um centavo. Essas são Informações que obtive do assessor da corretora que era encarregado pela reserva. Isso pode ocorrer ou foi vacilo da corretora?? Alguém conhece algum investidor que tenha feito a reserva entre 3 mil e 25 mil e tenha dado certo??

1 Curtida

Acho que não procede. Qual o preço mínimo que vc colocou na oferta? Se foi acima do que saiu, deveria ter participado normalmente do rateio, a não ser que não tivesse os recursos na conta (cada corretora trabalha de uma forma em relação à garantia).

1 Curtida

Coloquei para pagar o valor de mercado e tinha dinheiro na conta. Agora o assessor disse que foi por que foi na modalidade COMPRA PARA DISTRIBUIDORES onde não admite rateio… Sou leigo nesse assunto…

Foi isso. Clicou no local errado. Esse tinha várias opções mesmo.

1 Curtida

Comparando com 09/02/2021 (3T20), agora está assim:

OBS: retirei 52,099 milhões do lucro líquido por se tratar de ganho de causa.

Empresa INTB3
Cotação atual R$ 19,09
Preço alvo pelo PSBe está em R$ 16,69; com potencial de “valorização” de -16,69%.
Pelo FCD, utilizando uma taxa de crescimento média de 15% ao ano, para os próximos 5 anos, com 8% de taxa de desconto, chegamos a um valor de R$ 28,85 (potencial de valorização de 51,11%).
Na cotação atual, e considerando uma perpetuidade de 0, o mercado está precificando pelo
FCD um crescimento anual médio de 15% p/ os próximos 5 anos.

P/L P/VP ROE Margem Líquida PSR
22,67 3,96 17,48% 12,92% 2,93

Segue resultado:

Um ponto que chama muito a minha atenção é o crescimento do setor de Energia, pois pra mim é o maior motor de crescimento futuro da empresa:

3 Curtidas

Parece que o mercado gostou… +10% hoje!!

2 Curtidas

Com esta notícia de hoje a INTB3 chegou a estar caindo quase 3% e fechou subindo quase 4%:

https://api.mziq.com/mzfilemanager/v2/d/660c9d23-3bb0-4bd4-9707-c9fe5ad308b4/3a73b543-e733-b2bf-88ac-6b84edc6dc08?origin=1

Primeiro acharam ruim, depois acharam bom? :rofl:

Vai entender o mercado…

2 Curtidas

Comparando com 23/03/2021 (4T20), agora está assim:

OBS: retirei 52,099 milhões do lucro líquido do 4T20 por se tratar de ganho de causa.

Empresa INTB3
Cotação atual R$ 24,85
Preço alvo pelo PSBe está em R$ 22,02; com potencial de “valorização” de -11,40%.
Pelo FCD, utilizando uma taxa de crescimento média de 15% ao ano, para os próximos 5 anos, com 8% de taxa de desconto, chegamos a um valor de R$ 40,77 (potencial de valorização de 64,08%).
Na cotação atual, e considerando uma perpetuidade de 0, o mercado está precificando pelo
FCD um crescimento anual médio de 13% p/ os próximos 5 anos.

P/L P/VP ROE Margem Líquida PSR
20,88 4,70 22,53% 16,35% 3,41

Segue resultado:

O setor de Energia continua com elevado crescimento e deve se tornar muito mais relevante nos próximos 3-5 anos:

De negativo é preciso acompanhar o desenrolar da “crise dos chips”…

2 Curtidas

Uma coisa a se considerar nesse setor é a possível mudança na lei referente a compensação de créditos da energia solar.

3 Curtidas

Eu gosto muito da empresa, mas para comparar com a Weg ainda falta viu… :rofl:

Sempre que algum lugar tiver escrito “essa empresa será a próxima XXX”, corre que é cilada

1 Curtida

Eu ouvi esse episódio, eles falam em próxima WEG por causa da parte de solar. Só que a Intelbras só entrou nisso em 2018, tá longe de ter a mesma expertise das empresas mais tradicionais do setor de energia

2 Curtidas

Eu imaginava que a Intelbras apenas colocava o nome dela nos inversores de energia.

1 Curtida
2 Curtidas