CPLE3 - Copel


#1

Resultado do 3T 16 veio bem fraco.

No 3T16, a Copel (CPLE3) apresentou resultado negativo de R$ 75,1 milhões ante um lucro líquido de R$ 91,4 milhões no 3T15. Esse resultado foi impactado por maiores despesas financeiras, reflexo do maior saldo de financiamentos e debêntures e da provisão de R$ 121,9 milhões para a não realização de imposto de renda e contribuição social diferido sobre ativos e passivos regulatórios.

Note como no gráfico o lucro líquido deu um salto no 2T 16, e neste trimestre sofreu uma forte queda.


#2

Conselho da Copel aprova plano de investimento de R$ 2,03 bi para 2017

Por Camila Maia | Valor SÃO PAULO - O conselho de administração da Companhia Paranaense de Energia (Copel) aprovou o programa de investimentos de R$ 2,034 bilhões para 2017, informou a companhia na noite desta quarta-feira. Os valores não contemplam eventuais aquisições ou investimentos feitos por coligadas e controladas.


#3

Mais um resultado muito ruim, com prejuízo.

Justificativa da empresa: O desempenho no 4T16 foi impactado negativamente (a) pelo registro de
R$ 603,7 milhões em provisões relacionadas, principalmente, ao reconhecimento de impairment dos ativos de geração, (b) pelo aumento de 23,6% com compra de energia elétrica, consequência do menor GSF, e © pela queda de 2,0% no mercado fio da Copel Distribuição.


#4

Paraná avança sobre o caixa da Copel
Estatal ou caixa eletrônico?

Geraldo Samor

http://www.braziljournal.com/parana-avanca-sobre-o-caixa-da-copel


#5

Otimo resultado!


#6

Vixe, adiando a divulgação do resultado. Isso nunca é bom sinal…

"Divulgação das Informações Trimestrais

A Companhia Paranaense de Energia - COPEL, empresa que gera, transmite, distribui e comercializa energia, com ações listadas na Brasil, Bolsa, Balcão - B3 (CPLE3, CPLE5, CPLE6), na NYSE (ELPVY, ELP) e na LATIBEX (XCOP), em atendimento ao disposto no Artigo 157, da Lei nº 6.404/76 e na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários - CVM nº 358/02, comunica a seus acionistas e ao mercado em geral que, em carácter excepcional, não arquivará junto à CVM as demonstrações financeiras do terceiro trimestre de 2017 (ITR 3T17) no prazo previsto na Instrução CVM 480/09, em função de questões relacionadas às demonstrações financeiras da UEG Araucária - UEGA, empresa controlada por uma de suas subsidiárias, que impactaram o cronograma dos trabalhos.

A Copel seguirá envidando seus melhores esforços para finalizar os trabalhos de elaboração do ITR 3T17 na maior brevidade possível, corroborando o seu histórico de atendimento às normas acerca de informações periódicas e eventuais, e informará prontamente aos seus acionistas e o mercado tão logo haja definição sobre a data da conclusão dos trabalhos referidos acima.

Consequentemente, a respectiva audioconferência agendada para o dia 16 de novembro (quinta-feira) às 10h está cancelada, e o seu agendamento ocorrerá em momento oportuno."


#7

CPLE3 - 3T 17
Empresa já tinha divulgado ao mercado que entregaria o resultado do trimestre com atraso, fora do periodo de divulgação. E veio um bom resultado! O lucro foi impactado positivamente pelo registro de R$ 158,1 milhões relacionados a reversão de perdas, mas mesmo excluindo este fator não recorrente. o resultado operacional evoluiu bem.


#8

#9

Cadu, estava olhando ontem a noite a empresa e achando seus dados muito interessantes. Porém, ainda estou aprendiz e achei que estou pensando algo muito fora da caixa, pois realmente achei os indicadores muito interessantes, principalmente o fato do P/VP estar muito descontado para uma empresa rentável. Poderia comentar sobre minha análise?

Vejo o P/VP em 0.41, numa empresa que teve receita crescente nos últimos 5 anos de 9.1%. Junta-se a isso o DY de 11,6%.

Fatores negativos, ROE de 5,5%, as margens que vieram caindo nos ultimos 10 anos e divida bruta de 61% sobre o patrimônio líquido.

Qual análise que você faz da empresa, ainda mais com essa notícia reversão de prejuízo?


#10

Vou fazer uma melhor análise do balanço, pois a empresa só divulgou agora, e aí trago aqui para debatermos.


#11

@cadu conseguiu dar uma analisada na empresa? :wink:


#12

Já fiz a análise. Vou escrever aqui hj mais pro final da noite.


#13

Confuso montar uma análise sobre o balanço da Copel. São tantas provisões e reajustes lançadas e relançadas nos balanços, que complica fazer uma melhor análise, deixando a coisa bem confusa.

Um pto que chama a atenção é que o balanço do 4T 17 foi aprovado pelo auditor independente, a Delloite, com ressalvas. E a coisa é bem confusa. Isto tudo se deu por conta de uma identificação da administração da empresa de que a controlada indireta, a UEG Araucária, mantém recursos em Fundo de Investimento Multimercado, que detém cotas de outros fundos de investimentos, que por sua vez, mantêm investimentos em empresa de capital fechado, cujo ativo principal é um empreendimento imobiliário. Se não bastasse esta confusão, o rolo também se deu porque desde o balanço anual de 2016 ficaram jogando estes saldos para diversas rúbricas diferentes, com base na sua valorização, desvalorização, classificação contábil.

Com isso a auditoria ainda não sabe exatamente o valor a ser considerado, e nem direito aonde devem publicar este. Um resumo desta pendenga pode ser encontrado nesta matéria: https://istoe.com.br/balanco-da-copel-e-assinado-com-ressalva-por-ajustes-relacionados-a-ueg-araucaria/

Some a isso que a empresa por ser uma estatal, sofre do mesmo problema que Sanepar neste ano, a indefinição do cenário político em ano eleitoral.

De positivo, a venda as ações de Sanepar que a empresa tinha em caixa geraram uma boa receita financeira (e turbinaram o lucro), aliviando a alavancagem da empresa. Outro pto é que a empresa se encontra muito descontada na bolsa, e embora esteja sendo negociada a um bom desconto frente seu VP, a rentabilidade ainda está baixa, e o risco elevado.

Ainda acho difícil de analisar a empresa com tantas pendências contábeis p/ se resolver. Isto aliado ao ano de eleições, torna uma projeção p/ os próximos anos ainda mais complicada. Eu penso que é melhor esperar uma definição mais clara destas provisões e do cenário político, p/ aí sim estudar uma posição no ativo.


#14

Obrigado pela aula. Estou analisando tudo o que você listou, junto com os dados da empresa, para buscar entender mais sobre a empresa. Muito obrigado mesmo! Tem me ajudado muito.


#15

Algum contador (ou contador “informal” hehe) poderia me tirar uma dúvida?
Segundo o relatório anual da Copel, ela apresenta R$ 5,5 bi de reserva de retenção de lucro. Isso fica onde? Em uma conta poupança da empresa? Conta corrente?

Isso significa, na prática, que a empresa dispõe daquele dinheiro para utilizar no futuro, seja para investimento, pagamento de dívidas etc?

Se sim, porque, por exemplo, o site fundamentus não coloca esse valor na parte de “disponíveis”?

Se não, qual é a finalidade dessa “reserva de retenção de lucro”?

Procurei no google, mas, pra ser sincero, não encontrei minhas respostas.


#16

o dinheiro que ela tem é “caixa e equivalentes” e “títulos mobiliários”.
essa “reserva de lucro” é uma coisa contábil, não serve pra muita coisa


#17

Seria algo do tipo “ao longo da vida, a Copel ja reteve 5,5 bi, sendo que parte disso já foi usada e, hoje, a empresa dispõe de X reais que estão no caixa/títulos mobiliários”? Algo assim?


#18

A reserva legal é constituída com base em 5% do lucro líquido do exercício, antes de qualquer destinação, limitada a 20% do capital social. As empresas geralmente investem este capital em ativos de renda fixa.

A rubrica Caixa e equivalentes, se referem a depósitos bancários à vista e aplicações financeiras de curto prazo com alta liquidez, que possam ser resgatadas no prazo de até 90 dias. No caso da Copel, estão aplicados em CDBs que variam entre 65% a 100% do CDI. Nestes, a empresa tem 1B.

A rubrica titulos e valores imob. se referem a outros tipos de investimentos, como fundos multimercados, tesouro direto, e cotas de outros fundos. Nestes, a empresa tem 244M.

Estas no ativo circulante. No ativo não circulante tem outras rubricas de investimentos, voltadas mais p/ LP.


#19

Entendi. Então de fato a rubrica “reserva de retenção de lucro” é só um ““histórico”” de retenção de lucro da empresa?


#20

Taí uma coisa que já procurei um pouco na web e o que achei estava em linguajá de contabilidade, gostaria também de uma explicação.