EZTC3 - EzTec


#1

Prévia dos Resultados Operacionais do 3T16

Volume de Distratos estabilizam no 3T16
Estoque concluído apresentou incremento na Venda Líquida

São Paulo, 24 de outubro de 2016 - A EZTEC S.A. (BOVESPA: EZTC3; Bloomberg: EZTC3:BZ), anuncia a prévia dos resultados operacionais do terceiro trimestre de 2016 (3T16). Os resultados aqui apresentados são gerenciais e estão sujeitos à revisão da auditoria externa. Os resultados do 3T16 têm divulgação programada para 09 de novembro de 2016 após o fechamento do mercado.

Vendas e Distratos

A Companhia teve um trimestre em que os distratos superaram as vendas. Quando analisamos o resultado líquido de -R$17,7 milhões no 3T16, com acúmulo positivo de R$35,2 milhões nos 9M16, é importante colocar alguns pontos: [i] apesar das vendas brutas terem sido reduzidas entre os meses de julho e agosto, em comparação ao segundo trimestre deste ano, 74% foram provenientes de unidades concluídas; [ii] diferentemente dos últimos trimestres, o 3T16 não apresentou incremento no volume de distratos; [iii] com o período menos intenso de entregas, houve redução nos cancelamentos dos projetos performados, sendo que estes apresentaram venda líquida no trimestre, em R$20,0 milhões. No 2T16, a venda líquida de performados foi de R$9,2 milhões.

Ainda sobre a situação de vendas atual, sob o ponto de vista de geração de caixa para a Companhia, os distratos representam desembolso de apenas parte do valor pago pelos clientes, valor este que representa no máximo 15 a 20% do valor total da unidade. No entanto, quando observamos as vendas brutas, que nos 9M16 foram 60% provenientes de unidades concluídas até setembro de 2016, ocorre não somente o reconhecimento integral da receita, como também a entrada em caixa do valor total da unidade, ou o financiamento direto junto à EZTEC com alienação fiduciária. Desta forma, pudemos observar no 1S16 a geração de caixa de mais de R$160 milhões e, para o 3T16, números gerenciais ainda não auditados indicam nova geração, de aproximadamente R$45 milhões.

Para maiores informações e para visualização do documento na íntegra, clique aqui.

Para mais informações contate:
EZTEC S.A. - Relações com Investidores


#2

Crise faz Eztec construir novos caminhos de negócios
Incorporadora pretende lançar mais em 2017, entrar no Minha Casa Minha Vida e ganhar com aluguel de propriedades

Por Tatiana Vaz
São Paulo – No meio da crise que vem abalando o setor de construção no país, a Eztec resolveu colocar em prática o que chamou de negócio com característica oportunista.

Procurada por muitos investidores estrangeiros interessados em comprar imóveis e terrenos para alugar terceiros, a empresa decidiu fazer ela mesma o que os possíveis clientes queriam.

Os resultados devem começar a aparecer no balanço até o primeiro semestre de 2017, mas hoje 65% da torre B do EZ Towers, maior complexo comercial da empresa, formado por duas torres de 26 pavimentos de escritórios cada, em região nobre de São Paulo, já está alugada.

Coca-Cola e Amil são alguns dos inquilinos que podem engrossar as receitas da empresa em estimados R$ 60 milhões no próximo ano. A Torre A foi vendida para o grupo São Carlos, do empresário Jorge Paulo Lemann, em 2013, por cerca de R$ 600 milhões.

A companhia recebeu cerca de dez propostas de compra, mas deixou claro que só fechará se valer a pena.

“Tinha muita empresa estrangeira querendo comprar o negócio achando que estamos com a corda no pescoço e não estamos”, disse Ernesto Zarzur, presidente do conselho da Eztec em evento nesta semana.

Para ele, a experiência ensinou que todas as crises econômicas são cíclicas e as empresas melhor preparadas sabem sair delas ilesas. “Somos umas delas”, afirmou.

Para o próximo ano, a incorporadora estuda criar uma empresa de propriedades para reunir todos cerca de 80 imóveis e terrenos que hoje possui nesta condição.

Com foco em projetos comerciais de alto padrão, a operação seria uma subsidiária da Eztec, com a possibilidade de ser separada da holding no futuro.

Novos caminhos

Além das locações, a Eztec estuda há mais de um ano outras maneiras de fazer negócios. Uma delas é construir para o programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal.

Três empreendimentos dentro desse perfil já estão sendo feitos pela empresa na capital paulista e mais dois devem ser lançados em 2017.

Serão unidades construídas dentro das características do programa, apartamentos de cerca de R$ 220.000,00 e de até 40 metros quadrados.

Mas localizados em regiões privilegiadas dentro da região metropolitana de São Paulo, como o Centro da cidade, e com boa estrutura de lazer e qualidade de construção.

Com um banco R$ 700 milhões em terrenos já pagos, a companhia promete lançar em 2017 mais do que neste ano. O foco será mais amplo: apartamentos para o público de média, média alta e alta renda na região metropolitana de São Paulo.

“Garanto para vocês que quem lançar no ano que vem venderá 40% no chão e o restante durante a obra”, disse Zarzur. No entanto, acredita, será preciso ter preços mais agressivos.

O plano é dar descontos maiores para clientes que possam dar entradas maiores e ajustar as parcelas restantes dentro das possibilidades financeiras deles.

Com isso, os descontos de preços devem ser maiores, mas a margem de rentabilidade fica garantida, ainda que seja menor – de 20% em vez de 35%.

“Vamos lançar com força e na hora certa”, disse o empresário.

Para ele, o cuidado maior ainda será o de diminuir o número de distratos no próximo ano. A estimativa é que cerca de 3.000 unidades, das entregues em 2017, devem ser devolvidas.

Os principais motivos para as devoluções, acredita são a pessoa não ter como pagar ou achar que fez um mal negócio.

Com caixa forte, o que a empresa diz estar fazendo é analisar caso a caso e, quando possível, negociar com o próprio cliente. Neste sentido, avaliar o perfil e documentação dos compradores exige cada vez mais cautela, pensa o empresário.

“(Um empreendimento) É como uma caixa de laranja. Uma podre no meio pode acabar com todas elas”, afirmou Zarzur.


CAFI - Carteira de Análise Fundamentalista de Investimentos
#3

Fechamento de 2016 com recuperação de vendas no 4T16
Companhia encerra 2016 com lançamentos de R$ 230 MM e vendas brutas de R$ 628 MM

São Paulo, 20 de janeiro de 2017 - A EZTEC S.A. (BOVESPA: EZTC3; Bloomberg: EZTC3:BZ), anuncia a prévia dos resultados operacionais do quarto trimestre de 2016 (4T16). Os resultados aqui apresentados são gerenciais e estão sujeitos à revisão da auditoria externa. Os resultados do 4T16 têm divulgação programada para 22 de março de 2017 após o fechamento do mercado.

Lançamentos

Ao longo de 2016, a EZTEC adequou o seu padrão de lançamentos à realidade do momento econômico, o que leva em conta uma nova conjuntura de velocidade de vendas e de estoque. Logo, a Companhia lançou um VGV de R$ 205 milhões no ano.

A safra de lançamentos de 2016 foi especificamente direcionada para os segmentos de média-alta e alta renda uma vez que esses mostram maior resiliência em um período em que a renda e o crédito imobiliário para o usuário final estiveram reduzidos. Além disso, a Companhia distanciou-se do modelo de grandes projetos que predominou durante o seu boom de lançamentos, passando a optar por projetos menores voltados para a cidade de São Paulo. Esse é o caso dos três empreendimentos lançados no ano, todos localizados na Zona Sul de São Paulo: o Le Premier Moema, lançado no 1T16 com um VGV parte EZTEC de R$ 52 milhões; o Splendor Brooklin, no 2T16 com VGV de R$ 91 milhões; e, no último trimestre do ano, o Up Home Vila Mascote, de VGV de R$ 61 milhões.

A Companhia está apta a capturar oportunidades que acrescentem rentabilidade à operação, realizando no 4T16 a aquisição de 20% de participação nos projetos Royale Prestige, Tresor e Merit, além de 45% no projeto Brasiliano, alcançando a soma de 80% e 90% de participação sob a EZTEC nesses empreendimentos, respectivamente. Desta forma, considerando o incremento de recebíveis das unidades comercializadas, bem como o estoque a ser comercializado, a Companhia adicionou um VGV de R$26 milhões aos seus lançamentos de 2016, terminando o exercício com R$ 231 milhões.

Vendas e Distratos

A EZTEC apresentou no 4T16 uma melhora sensível em vendas líquidas, retornando à condição de vendas líquidas positivas. Em 2016 como um todo, a venda líquida alcançou R$ 76 milhões, dos quais R$ 39 milhões são contribuição do 4T16, que, portanto, se confirma como o melhor trimestre do ano.

Para a compreensão desse resultado, formado por vendas brutas de R$ 628 milhões e distratos de R$ 552 milhões, é válido destacar alguns pontos: [i] a velocidade de vendas brutas manteve-se relativamente estável ao longo do período, com VSO máxima de 16% no 2T16 e mínima de 12% no 3T16; [ii] dado o ciclo de menos lançamentos, a composição de estoque tende na direção de mais unidades performadas, não sujeitas a distratos; [iii] há um esforço permanente por parte da Administração de reduzir a inadimplência da carteira de recebíveis, seja através de descontos, de downgrades, ou mesmo do adiantamento do distrato.

Para maiores informações e para visualização do documento na íntegra, clique aqui.

Para mais informações contate:

EZTEC S.A. - Relações com Investidores
Tel.: +55 (11) 5056-8313
E-mail: [email protected]
Website: www.eztec.com.br/ri


#4

EZTC3 - 2016.
Levando em conta a crise do setor, achei bom o resultado. Note que eles não reduzem as margens, só o volume de vendas.


#5

#6

#7

Resultado do 1T 17 fraco, empresa sem lançar empreendimentos, e acabaram reduzindo as margens. A surpresa fica por conta do aumento de payout:

Aprovação na Assembleia Geral do dia 28/04/2017 da Distribuição de Dividendos no montante de R$180.213.662,18, representando R$1,09 por ação e 78,3% de payout.


#8

#9

Venda Líquida acelera para melhor resultado em seis trimestres
Primeiro lançamento do ano alcança 56% das unidades vendidas em dois meses

São Paulo, 13 de julho de 2017 - A EZTEC S.A. (BOVESPA: EZTC3; Bloomberg: EZTC3:BZ), anuncia a prévia dos resultados operacionais do segundo trimestre de 2017 (2T17). Os resultados aqui apresentados são gerenciais e estão sujeitos à revisão da auditoria externa. Os resultados do 2T17 têm divulgação programada para 10 de agosto de 2017 após o fechamento do mercado.

Lançamentos

O segundo trimestre de 2017 foi marcado pelo primeiro lançamento do ano, o Legittimo Vila Romana: empreendimento residencial de alta renda, localizado na Vila Romana - Lapa, Zona Oeste de São Paulo, com 54 unidades e VGV de R$49,5 milhões.

Este lançamento se enquadra no perfil dos lançamentos que a EZTEC vem praticando desde 2015: [i] empreendimentos direcionados para os segmentos de média-alta e alta renda, uma vez que esses mostram maior resiliência em período cuja renda e crédito imobiliário estão reduzidos; [ii] empreendimentos bem localizados dentro da Cidade de São Paulo, visando a demanda orgânica e regional de cada bairro, sem a tentativa de estimular fluxos migratórios; e [iii] empreendimentos de menor quantidade de unidades, de tal maneira que o risco associado aos lançamentos seja diluído. Dentro desse perfil, o Legittimo Vila Romana foi lançado em abril e já demonstra velocidade de venda adequada.

Para maiores informações e para visualização do documento na íntegra, clique aqui.


#10

EZTC3 - 2T 17
Resultado razoável levando em conta o momento economico e do setor. Pto negativo p/ a queda na margem líquida.

image


#11

Fato Relevante

São Paulo, 21 de setembro de 2017 - A EZ TEC e o EZTB (integrante do grupo econômico da Brookfield) celebram documentos vinculantes para a alienação da Torre B do empreendimento comercial EZ Towers, no valor de R$ 650.382.478,00.

A EZ TEC Empreendimentos e Participações S.A. (“EZ TEC”), em atendimento às disposições do artigo 157, § 4º, da Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976 e da Instrução CVM nº 358, de 03 de janeiro de 2002 e alterações subsequentes, informa aos seus investidores e ao mercado em geral que:

(i) tendo em vista a conclusão da auditoria técnica, legal e anticorrupção realizada pelo EZTB Fundo de Investimento Imobiliário - FII (“EZTB”), integrante do grupo econômico da Brookfield, em relação à Torre B do empreendimento comercial denominado EZ Towers (“Torre B”), a Garicema Empreendimentos Imobiliários Ltda. (“Garicema”), sociedade controlada pela EZ TEC, firmou, nesta data, documentos vinculantes, comprometendo-se a alienar a Torre B ao EZTB (“Documentos Vinculantes”);

(ii) a Garicema recebeu, nesta data, a título de sinal, o valor de R$ 15.000.000,00 e receberá, sujeito às condições mencionadas abaixo, até o dia 05 de outubro de 2017, da EZTB e por meio de uma operação estruturada, o valor à vista de R$ 635.382.478,00, corrigido pelo CDI a partir de 18 de setembro de 2017 até a data do efetivo pagamento;

(iii) a consumação da operação prevista nos Documentos Vinculantes está sujeita à verificação das seguintes condições: (a) liberação, pela Garicema, de ônus constantes na matrícula da Torre B, e (b) finalização, pelo EZTB, da operação estruturada acima mencionada, sob pena de rescisão automática e de pleno direito dos Documentos Vinculantes.


#13

EZTEC vende Torre B para Brookfield por R$ 650 milhões
Imóveis comerciais recuperam liquidez
Geraldo Samor

Mais de R$ 1 bilhão em imóveis comerciais trocaram de mãos em São Paulo nas últimas 24 horas. Outro meio bilhão está sendo negociado.

A EZTEC acaba de anunciar a venda da Torre B do complexo EZ Towers para a Brookfield por R$ 650 milhões, ou R$ 13,8 mil/metro quadrado.

A incorporadora da família Zarzur estava sendo assediada há meses por investidores, mas sempre resistia a puxar o gatilho numa transação. Para efeito de comparação, em 2013 a Torre A, que ainda estava em construção, foi vendida para a São Carlos por R$ 564 milhões. A Torre B está pronta e quase toda locada.

http://braziljournal.com/eztec-vende-torre-b-para-brookfield-por-r-650-milhoes


#14

EZTC3 - 3T 17
Ótimo resultado, impulsionado pela venda da torre B.

eztc


#15

Bom dia Cadu,

vc ainda tem ações da EZTC3?
O que vc acha dessa distribuição de 2,67/ação?

Particularmente eu gostei muito…

sds,


#16

Foi excelente esta distribuição. É uma empresa muito bem administrada, e com um ótimo fluxo de caixa. Eles sabem gerar retorno ao acionista, e quando o mercado está ruim, eles seguram mais os lançamentos, e aumentam os dividendos. Sem dúvida é a melhor empresa do setor, e uma das mais bem administradas na bolsa.


#17

Comprar ações dela agora ou esperar até dia 7 quando fica ex e comprar com os dividendos descontados do preço?


#18

Para longo prazo não faz muita diferença. Para curto prazo, talvez comprar depois de ficar ex dividendos abra uma janela de oportunidade, pois muitos investidores compram a ação só p/ receberem os dividendos, e depois de ficar ex vendem.


#19

Queda interessante no papel.

P/L na casa dos 10…


#20

Alguma ideia do motivo da queda? Boa oportunidade para aumentar a posição?


#21

Foi por conta do fraco resultado do 4T 17.
Queda em praticamente todos os números, embora no conjunto geral do ano o resultado ficou com um bom crescimento.