MDNE3 - Moura Dubeux

Há mais de 35 anos atuando no mercado de Incorporação e Construção Civil, e hoje, a Moura Dubeux é uma das maiores construtoras e incorporadoras do Nordeste. Reconhecida como uma empresa de destaque no mercado imobiliário.

Página RI da empresa:

https://ri.mouradubeux.com.br/

30/03/2020 - Divulgação resultado 4T19

31/03/2020 - Teleconferência Resultados 4T19

Resultado 4T19 é 2019

Você chegou a colocar ela na carteira? Eu soube dela muito por alto e acabei não estudando o caso ainda.

Divida de 1 bilhão e 4 prejuízo nos últimos 3 anos, também não estudei o case mas só se tiver mudado algo pra valer a pena pensar em entrar…

Entrou R$ 1,04 bilhão no caixa da empresa em decorrência do IPO.

O IPO ocorreu em fevereiro de 2020. Por isso, ainda não aparece no Balanço encerrado em 31/12/2019.

Com o dinheiro do IPO, a empresa já liquidou mais de R$ 900 milhões de dívidas.

CONSIDERANDO O DINHEIRO DO IPO:

Hoje, a dívida bruta é de R$ 238 milhões e a dívida líquida é de R$ 71 milhões.

Dívida bruta / Patrimônio líquido = 0,21

Patrimônio líquido = R$ 1,13 bilhão

Número de ações = 84.909.275

VPA = 13,32

Em 2019, a empresa deu prejuízo em decorrência do resultado financeiro.

Prejuízo: R$ 99,14 milhões

Lucro bruto: R$ 161,92 milhões

Lucro operacional: R$ 90,22 milhões

Resultado financeiro: - R$ 179,72 milhões

EBITDA: R$ 114,50 milhões

Doravante, espera-se que a empresa passe a dar lucro, já que o prejuízo de 2019 foi decorrente do resultado financeiro e, atualmente, a dívida líquida da empresa é bem pequena.

@arretado como é a politica de payout aos acionistas da mdne3? Como vc espera que vem o resultado 3t2020?

Pessoal, não me conformo com a cotação atual da Moura Dubeux. Acho a maior aberração do setor. Motivos:

  1. Empresa com maior barreira de entrada: no passado, várias incorporadoras tentaram entrar no Nordeste, como Rossi e PGD. Todas saíram, pois é um mundo a parte. Atrapalharam na época a Moura, mas dificilmente voltarão. Assim, há menor disputa por terrenos (“melhores terrenos sempre passam nas nossas mãos” - palavra da empresa);

  2. Menor risco: 40% de seus projetos é no regime de condomínios, onde o próprio comprador é responsável pelos custos de materiais de construção. Além disso, o pagamento total é mais curto, sendo a obra toda paga em ~4 anos, sendo que no primeiro, é gerado um colchão, para apenas depois começarem as obras. Nível de inadimplência quase zero (mesmo em épocas de crise), pois por contrato, a falta de pagamento por 60 dias levariam o imóvel a leilão (na prática, sempre conseguem um acordo).

  3. Gestão: é empresa de dono (adoro isso) com vários anos na empresa, com marca forte na região (costumam dizer: moro em um Moura Dubeux), com ótima avaliação dos imóveis, equipe própria de construção. Como a empresa estava em situação ruim, quem não conhece detalhes, atribui isso à uma gestão ruim, que não é o caso. Apenas sofreram com a crise em si + entrada de concorrentes do sudeste (comentei acima): preços desabaram e estoques de todos ficaram encalhados (vendas desses estoques estão saindo muito bem agora, apesar de que com margens piores)

  4. Caixa Saudável: hoje ela apresenta caixa líquido e bom nível de estoque para venda, que deve ajudar no caixa para as obras dos lançamentos atuais. Além disso, o sistema de condomínio, ao contrário da incorporação tradicional, não apresenta necessidade de capital intensiva.

  5. É a mais barata: esse tema é subjetivo. Tentando objetivar, possui o mais baixo P/BV do setor (0,76), mais baixo do que algumas nitidamente piores, como Tecnisa, que nem lucro geram há anos de forma recorrente. Em relatório da semana passada, usando critérios mas financeiros como FDC e múltiplos, o Safra também apontou a Moura como a mais barata do setor.

6 Curtidas

E as dívidas? E o p/l negativo? E DY zero? Vc ja analisou?
Qual a politica de payout da empresa?
Como vc disse, é empresa de dono. Me Parece que abriram capital na bolsa pra se salvar das dividas e enriquecer o dono ainda mais. Nao vejo a empresa preocupada em dar dar retorno aos acionistas.

3 Curtidas

Vamos por partes, muitos pontos a serem discutidos:

Dívida: empresa com dívida líquida negativa, gerando caixa, ou seja, mais caixa do que dívida, o que deve mudar conforme os lançamentos forem sendo executados. Mas situação atual está bem tranquila;

Empresa abriu capital para ajustar sua estrutura de capital e voltar a lançar e se aproveitar de uma das regiões com maiores barreiras de entrada. Gosto muito do case. É a empresa mais barata pelo aspecto de p/vp da bolsa. Quem acreditar que a melhora da empresa veio para ficar, vale analisar. É meu caso.

P/L negativo: ainda influenciado pelo 2 tri de 2020. A partir daí, empresa lucrou nos outros 3 trimestres. Com o provável lucro do 2 tri de 2021, deve voltar ao P/L positivo;

DY: empresa ainda possui prejuízo acumulado. Rápido retrospecto: várias empresas do sudeste entraram no Nordeste, lançaram muito, tiveram prejuízo e saíram (provavelmente não voltarão mais). Moura sofreu pela concorrência (além da crise do setor) e passou a não lançar, apenas vender estoque. Com o IPO, voltou a lançar, vender super bem (um dos maiores venda/oferta do setor). Assim que zerar o prejuízo acc, tende a voltar a pagar dividendos. Por hora, política de 25% de payout, mas pode mudar.

3 Curtidas

Iniciei posição aqui de “leve”, só 25% do que pretendo aportar. Uma hora as construtoras vão parar de apanhar e isto deve ocorrer quando os custos da construção pararem de subir (talvez esteja começando).

O motivo que me fez escolher a MDNE3 foi:

  • Desconto muito alto, mas isto é opinião: PL abaixo de 0,57; lucro nos últimos 4 trimestres (P/L atual de 9,X); e dívida líquida zerada (não estou querendo empresas já alavancadas com a SELIC sem definição de teto);
  • Presença na região Nordeste: grandes empresas da bolsa não atuando na região pelos histórico de prejuízos anteriores; profundo conhecimento da região; concorrência com empresas pequenas com poucos lançamentos anuais;
  • Boa reputação da empresa, com muitos lançamentos recentes de grande sucesso;
  • Menor pressão dos custos por atuar numa região onde a demanda por mão de obra não ocorreu como no Sudeste;
  • Concentração em média e alta renda numa região com menos lançamentos recentes.

Pelo lado negativo: a empresa tem quase 400 milhões prejuízos acumulados, ou seja, não deve pagar dividendos antes de 2024 (a menos que faça redução de capital como algumas empresas fizeram recentemente); histórico ruim, mas isto na minha opinião foi devido a elevada concorrência com posterior “fuga” de grandes empresas desovando seus estoques a preços deflacionados.

Na minha opinião atualmente seria a segunda empresa mais barata do setor, atrás apenas da EVEN3 (entrei também) que tem um caixa bem gordo, o que pode ser muito decisivo na situação atual.

1 Curtida

Vou upar só pra facilitar minha vida porque vou dar uma olhada por recomendação do @vkjr

2 Curtidas

Boa. Fiz uma thread bem completinha sobre a empresa. Segue para uma primeira visão. Precisando de alto a mais, estou a disposição. Falo com eles toda semana. Estou beeeem confortável:

4 Curtidas

Se tiver a chance, leia também essa matéria que escrevi. É sobre o setor como um todo, mas falo bastante sobre a Moura Dubeux:

4 Curtidas

Certamente olharei tudo. Muito obrigado!

3 Curtidas
1 Curtida

Iniciei posição nela hj

2 Curtidas