Mercado e Projeções


#21

Cadu,

Vi que você está bastante otimista em relação aos fundos imobiliários no momento, mas será que o momento atual é bom para aumentar posição?

Pergunto isso pois já tivemos uma boa valorização das cotas nos últimos meses, o valor distribuído na maioria dos fundos não tem aumentado, em muitos tem diminuído, em vários fundos ainda vemos mais notificações de recisoes de contratos do que novos contratos. E a maioria das revisões de contrato que tenho lido ainda tem sido para baixo.

A impressão que me dá, é que se esperarmos um pouco, poderemos ter um ponto de entrada melhor nas próxima semanas ou meses.

Qual a sua opinião?


#22

Essa é uma dúvida recorrente mesmo @Fortaleza
Podemos dizer que basicamente temos 2 pesos que são atribuídos na precificação dos ativos: retorno e risco. De um lado, temos o retorno em termos de rentabilidade, e como vc bem já descreveu, ele tem se mantido estável. Por outro lado, o risco tem caído cada vez mais, e é por isso que as ações e FIIs continuam subindo.

Dando continuidade, com a tendência de queda na taxa selic, a inflação controlada, o teto fiscal criado, e a (pelo menos tentativa) reforma da previdência, tudo indica p/ uma retomada do crescimento e melhora do cenário econômico. Se não começar no 2 semestre deste ano, é bem possível que em 2018 o Brasil já tenha um PIB positivo. E esta melhora está sendo precificada nos ativos.

Agora sobre o pto de entrada, esta é uma pergunta difícil. Por um lado tanto o IFIX quanto o IBOV estão em tendência de alta, o que é um bom sinal p/ quem quer comprar ou aumentar posição. Por outro lado, os fundamentos começam a ficar menos atrativos, mas isso com relação a 1 ano atrás, onde estava muito mais barato.

Logo, é um fato que o mercado sempre exagera nas precificações, tanto p/ baixo quanto p/ cima. Mas ainda vejo espaço p/ novas altas, em especial se a reforma da previdência conseguir avançar, pois isso diminuiu ainda mais os riscos. Não recomendaria alguém que está de fora entrar fortemente comprada na renda variável agora, mas aumento de posições, ou uma pequena parte do capital entrando agora, não vejo problemas no longo prazo.

Entretanto abro uma observação aqui, com esta alta do mercado se faz necessário escolher melhor os ativos p/ compor a carteira, ou aproveitar p/ remanejar a carteira. Por exemplo, liquidei VRTA11, que deve sofrer com queda na rentabilidade por conta da queda na selic e da inflação, e aumentei em imóveis comerciais novos em SP com alguma vacância, já apostando na recuperação econômica posterior, como TBOF11 e VLOL11.


#23

Dando um feedback da estratégia que tracei e escrevi aqui no início do ano, minha principal aposta foi no RNGO11. Nestes dois meses de 2017, o FII já subiu pouco mais de 23%. E isso que foi um investimento de baixo risco. No tópico de análise técnica vou postar um gráfico bacana sobre os FIIs.


#24

Cadu, além de RNGO, tem algum outro FII de escritório que acha que tem potencial atualmente?

Grato


#25

Os 4 FIIs que citei no começo do ano já subiram bem. Então nenhum deles, hoje, apresenta mais aquele grande potencial de valorização.

Um FII que está com um bom potencial, mas não é bem de escritórios, e sim corporativo, é o MBRF11.

Mas a maioria dos FIIs que não subiram forte, pelo menos frente a cotação no final de 2015, são os que apresentam maior risco. Dentre eles, destacaria TRXL11. O FII ficará com metade da área total em vacância, o que deixará o rendimento mensal em torno de 0,30. Porém, se conseguir locar os dois imóveis vagos, e ficar 100% ocupado, o seu rendimento deve dobrar, indo para algo em torno de 0,60.

É um investimento com risco mais elevado, pois os imóveis podem demorar um bom tempo até serem alugados novamente, porém se forem a cotação vai subir muito forte, podendo ir próximo de 90. Mas dentro de uma carteira diversificada, com um percentual de investimento nele menor, pode valer a pena.


#26

Analisando a recente Alta da Bolsa x Recuperação Econômica.
A alta da bolsa foi espetacular, já a recuperação se dá um pouco mais lenta. Isso demonstra como o mercado antecipa as coisas. Fique atento!


#27

#28

Este é o porque da queda de muitas ações do setor elétrico ontem:


#29

Uma das dificuldades que vejo nas empresas do setor de varejo no longo prazo é a concorrência com os gigantes conglomerados online:

Amazon já é No. 2 em vestuário nos EUA
Geraldo Samor

A Amazon.com já deve ser o segundo maior varejista de vestuário dos EUA, atrás apenas do Wal-Mart, com participações de mercado de 7,4% e 8,1%, respectivamente.

http://www.braziljournal.com/amazon-ja-e-no-2-em-vestuario-nos-eua


#30

Bom dia pessoal,

tenho uma dúvida e gostaria de ouvir a posição dos foristas.
Quando vcs fecham posição em alguns papeis, realizando lucro, onde vcs alocam esse dinheiro, num cenário onde a bolsa está muito cara e praticamente não há boas ações a preços atrativos, o mesmo acontecendo com FII’s e taxa SELIC em queda.

Obrigado!


#31

Considerando este cenário, eu iria de um título pré fixado do tesouro direito. Isso pq com a selic em tendência de queda as opções de títulos pós fixadas ficam menos atrativas.

Agora olhando o momento atual, eu ainda vejo alguns FIIs atrativos. Mas sem dúvida a subida deles, há mais de 1 ano em viés de alta, tem deixado cada vez mais dificil selecionar os FIIs.


#32

Outro ponto importante é saber realmente qnd ficou caro, pois as vezes você vende tudo hoje acreditando que está caro. e daqui um ano ela dobra de valor e nunca mais volta no preço “barato” ao qual você gostaria de comprar.

eu não me sinto capacitado para tomar esses tipo de decisão. sou adepto ao vender somente quando a empresa ficou ruim em termos de fundamentos e não quando ficou caro (alias se você tem uma empresa cara em sua carteira vc deveria de estar feliz, pois teoricamente estaria ganhando dinheiro).

essa característica de vender o que está caro, e comprar novas barganhas trás retornos muito mais expressivos. porém adianto que é uma missão para poucas pessoas… a nossa carteira PenseRico Express administrada pelo @Cadu consegue fazer isso muito bem.

Abs


#33

Colegas,

Minha carteira fundamentalista está formada pelas seguintes ações

LREN3
ITUB4
PARD3
ECOR3

  1. Este foi um bom mês, menos para ITUB4 que não teve boa alta.
  2. Não pretendo aumentar posição no momento em nenhum delas, por não me sentir confortável em colocar mais dinheiro, pois acho que eu iria pirar e não conseguiria pensar racionalmente.
  3. Podem ver que comecei a pouco tempo e por não ser grande investidor não tenho tanta diversificação para me proteger.
  4. Com a notícia de hoje, não sei qual poderá ser a tendência da bolsa. Imagino eu, uma forte queda.

Sendo assim, já que não posso investir dinheiro em bolsa e não poderei aproveitar tal queda, gostaria de não tomar prejuízo pelas especulações que virão nos próximos dias. Estou querendo vender todas as ações (não é um dinheiro expressivo, comparado ao grande investidor) e talvez na segunda recomprar as ações. É razoável a minha intenção? Me desculpem se estou utilizando o tópico errado.


#34

É possível sim. O problema é que hoje já deve abrir a negociação com uma forte queda.
Sobre vender hoje e recomprar segunda, não tem como prever estes movimentos de CP. Pode ser que dê certo, ou pode ser que não. A única certeza é que hoje será uma queda forte, e no CP teremos, novamente, muita volatilidade.

Nestas horas a melhor coisa a se fazer é se apegar aos fundamentos das empresas, e deixar de lado a flutuação da cotação.


#35

Muitos amigos estavam nos questionando sobre a performance da nossa carteira de não estar ganhando tanto frente aos demais. Expliquei que estava bastante centralizada em FIIs devido ao mercado caro e também proteção.
Hoje eles entenderão o que estávamos dizendo…


#36

Cadu,

Sua estrategia hoje é não fazer nada?


#37

Eu já lancei minha ordem, se não vender não venderei no meio do dia. Digamos que hoje é um dia atípico uma vez que as notícias sairam após o fechamento do pregrão e o mercado não conseguiu prever. A intenção não seria especular, mas não perder tanto diante de tal situação. A minha decisão final vai ser essa. Se a ordem agendada for pra frente bom, se não for vou manter as ações e esperar o retorno das mesmas. A muito tempo estou querendo estudar sobre opções e nessas horas eu poderia estar protegido com algumas delas. Enfim, bola pra frente.


#38

Eu não vou vender, acredito que o momento de venda em ações já passou. Mas já tinha me preparado, pois estou com uma posição grande em FIIs e diminuta em ações. Não sei se a queda vai se extender nos próximos pregões, mas o IBOV tem um suporte bom na casa dos 61.700 ptos, que é onde está a MME200.


#39

Devido a piora no cenário político, voltamos a enfrentar instabilidade sobre o futuro do país, em especial no que tange as reformas. Com o enfraquecimento do governo Temer, devemos ficar com um zumbi no poder até terminar o mandato, ou até mesmo ele cair. De qualquer forma, não vejo no CP outro político entrando no seu lugar para promover os ajustes fiscais, visando equilibrar as contas do governo.

Por conta disso, eu estou de olho nos seguintes ativos para compra. Levando em conta empresas voltadas p/ exportação, ou que não dependem tanto do cenário econômico interno, que estejam com fortes quedas hoje, e que tenham pouca dívida:

  • FRAS3
  • LEVE3
  • BBSE3

Em segundo plano, empresas ainda no quesito acima, mas que dependem um pouco mais do cenário interno:

  • ABCB4
  • GRND3
  • ITSA4
  • MPLU3

E nos FIIs:

  • HGLG11
  • HGRE11
  • RBRD11
  • SAAG11

OBS: lembrei de mais uma exportadora, mas esta com um pouco mais de risco: MYPK3.


#40

O mais engraçado foi ver analistas renomados mandando vender tudo logo na abertura do mercado no dia de ontem. Caras com vasta experiência e com um despreparo emocional sem igual…