MRS Logística (MRSA3B, MRSA5B, MRSA6B)

Ela paga anual. E costuma pagar, de fato, no último dia do ano.
Presentinho de Natal. Rs.

5 curtidas

otimo kkk

1 curtida

Liquidez momentânea na MRSA3B.
Levei 200 e mantive minha OC na casa dos R$26,00, para a hipótese de o vendedor topar vender mais barato.

3 curtidas

Janela de liquidez fechou.
Durou 40min hoje.
Sempre que abrir - e eu estiver acompanhado - aviso.

Espero que alguém aqui tenha aproveitado. Quantos mais sócios de longo prazo, melhor.
Vamos que vamos!

4 curtidas

Abri posição comprando um pouco no fracionário.

2 curtidas

:wink: :wink: :wink: :wink:

2 curtidas

Peguei um pouco na 5

3 curtidas

Bracell atinge marca de 5 milhões de toneladas de celulose movimentadas entre Pederneiras e Porto de Santos

Parceria entre Bracell e MRS impulsiona operação sustentável e eficiente

Por Redação em 1 de abril de 2024 às 7h29

Bracell atinge marca de 5 milhões de toneladas de celulose movimentadas entre Pederneiras e Porto de Santos

Foto: Divulgação/Bracell

A Bracell, fabricante de celulose solúvel, registrou no início de fevereiro, o total de 5 milhões de toneladas de celulose movimentadas entre o Terminal Intermodal de Pederneiras e o Porto de Santos. Os resultados alcançados refletem os esforços conjuntos das equipes de Supply Chain da Bracell e MRS.

Inaugurado em outubro de 2021, o Terminal Intermodal de Pederneiras é o ponto de partida da jornada da celulose em direção ao Porto de Santos. Fruto de uma parceria entre as empresas Bracell e MRS, o terminal desempenha um papel fundamental na estratégia de logística da Bracell, comprometida com uma produção sustentável e livre de combustíveis fósseis.

Todo o processo é parte do Compromisso Bracell 2030, no qual metas de longo prazo para a sustentabilidade são estabelecidas. Rubens Rigueira Júnior, gerente sênior de Supply Chain da Bracell em SP, destaca a importância do transporte rodoferroviário na descarbonização da cadeia logística. “Uma composição é formada por até 3 locomotivas e 66 vagões, o equivalente aproximadamente 124 caminhões na rodovia”, afirma. Ele ressalta que as locomotivas consomem menos combustível e geram até 3 vezes menos CO₂ em comparação com o transporte rodoviário.

O terminal em Pederneiras conta com uma área de armazém de 6,9 mil m² e opera 24 horas por dia, 365 dias por ano, recebendo em média 6 caminhões de celulose por hora. Rubens destaca o comprometimento das equipes, que foi fundamental para alcançar essa marca significativa. “O engajamento entre os diversos times que envolvem a logística de transporte da celulose da fábrica até o porto foi essencial para esse resultado”, conclui.

4 curtidas

Para os acionistas que quiserem saber mais sobre esse importante terminal, recomendo o vídeo abaixo:

3 curtidas

Valor de hoje: muito espaço para crescimento para o modal ferroviário no Brasil, país de dimensão continental, mas cujo transporte é ainda 62% dependente de caminhões.

2 curtidas

Só um detalhe: a BNSF é empresa fechada - para destacar como é possível ter ativos de diferentes perfis numa carteira previdenciária.

Imagem1

5 curtidas

Amigo muito obrigado pelo conteúdo, é difícil garimpar tanta informação importante

2 curtidas

Estamos juntos.
Por ter uma carteira muito concentrada e com valores significativos em cada posição, sem pretensão de venda (visão previdenciária), é uma obrigação que tenho de acompanhar de perto cada ativo, como um verdadeiro sócio.
Pode deixar que continuarei a postar aqui, para quem também se identificar com essa forma de investir e, eventualmente, para quem tiver interesse em conhecer essas teses de investimento.

4 curtidas

O gráfico abaixo é aquele que todo fundamentalista se apaixona ao se deparar: ele demonstra como a cotação da ação não está acompanhando o fundamento da empresa (evolução do lucro líquido e do valor patrimonial vs cotação da ação):

Por esse gráfico, a cotação deveria estar na casa dos $55,00 apenas para se alinhar com o crescimento dos resultados.

Pode demorar, mas todo value investor acredita que, uma hora, o preço converge para o valor justo.

4 curtidas

O projeto que se dá início agora, de segregação de linhas em SP, é o maior investimento previsto no contrato de renovação da concessão da empresa.

Grande ABC terá linha exclusiva para transporte de cargas até 2034

Audiência pública a repeito do modal para trens de cargas na Linha-10 revelou detalhes de projeto da MRS Logística, como reconstrução de estações

A primeira audiência pública sobre a construção de uma linha férrea exclusiva para transporte de cargas no trecho Brás-Rio Grande da Serra, realizada nesta quinta-feira (4), em Mauá, revelou mais detalhes sobre o projeto desenvolvido pela MRS Logística, empresa brasileira de logística e transporte ferroviário. Com previsão de entrega para 2034, o novo plano vai gerar intervenções na maioria das estações da Linha-10 Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) no Grande ABC, incluindo reformas completas.

A concessão da malha administrada pela MRS Logística foi renovada até 2056 e, como parte dos compromissos assumidos pela empresa junto à Antt (Agência Nacional de Transportes Terrestres), está a implantação, até 2034, da nova via ferroviária segregada de 35 km, compartilhando vias com o sistema de passageiros apenas entre a região do Brás e da Barra Funda.

O projeto consiste na construção de uma via ferroviária dedicada, exclusivamente, ao transporte de cargas, ajudando a resolver um antigo problema na Região Metropolitana de São Paulo: o compartilhamento da mesma via ferroviária pelos trens de passageiros da Linha 10-Turquesa, da CPTM, e pelos trens de carga da MRS. Atualmente, o trecho possui duas janelas de horário delimitadas para circulação de trens de carga, além de um limite de 25 toneladas/eixo para o tráfego de trens, que passará a ser de 32,5 toneladas/eixo.

Na região, apenas as estações Santo André (Celso Daniel) e Rio Grande da Serra não receberão intervenções relacionadas ao projeto. As paradas São Caetano, Mauá e Guapituba sofrerão adequações; Utinga e Capuava terão mudanças no acesso de passageiros; e Prefeito Saladino e Ribeirão Pires terão novas estações construídas durante o processo.

Em razão dos impactos ambientais e sociais que podem ocorrer, o projeto foi objeto de um EIA (Estudo de Impacto Ambiental) e do Rima (Relatório de Impacto Ambiental), concluídos em novembro de 2023. Agora, os documentos serão analisados pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), órgão responsável por avaliar se os projetos são viáveis do ponto de vista ambiental e social, durante a fase de licença prévia.

ANÁLISE

Segundo os representantes da empresa, no transporte de passageiros haverá diminuição do intervalo entre trens, maior segurança para circulação das composições e redução do custo de manutenção das vias. Já no transporte de carga da MRS terá o atendimento de novos terminais de carga geral, maior produtividade e confiabilidade para o transporte ferroviário e mais janelas para passagem dos trens.

Entre outros pontos positivos indicados no projeto está a redução do tráfego de caminhões para o transporte de cargas, reduzindo congestionamentos, poluição e acidentes.

A reunião em Mauá foi convocada pelo Consema (Conselho Estadual de Meio Ambiente) para discutir o EIA/RIMA do projeto. As audiências públicas permitem que cidadãos, órgãos e entidades públicas ou civis colaborem com o debate de questões de interesse público relevante, ou emitam opinião sobre alguma proposta. Serão realizadas outras duas audiências, em São Caetano e Capital – dias 18 e 25 deste mês.

Estudo contratado pelo governo estadual, em 2018, por meio da Dersa (Departamento Rodoviário S/A), apontou impacto de pelo menos 20 mil passageiros por hora em trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) na região devido ao compartilhamento da malha ferroviária com composições responsáveis pelo transporte de cargas. A informação constava no Rima (Relatório de Impacto Ambiental) do projeto para construção do trecho Norte do Ferroanel e foi divulgada pelo Diário na época.

Para atingir esse número, considera-se como usuários afetados quando o intervalo entre os trens ultrapassa 50% do tempo programado para o horário, ou seja, se a média entre uma composição e outra é de seis minutos, quando o trem demora nove ou mais para chegar até a estação os passageiros que fizerem o embarque passam a ser prejudicados.

2 curtidas

Ontem virei socio com uma posiçao boa :grinning:

3 curtidas

Opa!! Maravilha!!
Ampliei posição em todas as classes de ações também ontem.
Aliás, acabaram de sair mais duas OC minhas na 5 e na 6 agora!
Hora de recolocar as ordens no book.
Tamo junto!

PS: lembrando que a cotação atual contém $0,88 de dividendos nas PNs ($0,80 na ON).

Logo vai ficar ex

3 curtidas

A propósito, no ranking da Sabbius (site de análise fundamentalista), a MRS é a número um tanto no setor (transporte), quanto no segmento (ferrovias). E só não está melhor ranqueada no geral porque o site não atualizou a recompra recente da empresa de 2mi ações do sindicato dos ferroviários (concluída no final do ano). Pois também deveria ter pontuado no item “compra de insiders”.


3 curtidas

Relatório de rating da Rumo, divulgado ontem:
https://www.fitchratings.com/research/pt/corporate-finance/fitch-affirms-rumo-its-subsidiaries-ratings-11-04-2024

Destaque do relatório (para os acionistas da MRS):

“O IDR em Moeda Local da Rumo está abaixo do IDR em Moeda Local ‘BBB-’, com Perspectiva Estável, da MRS Logística S.A. A MRS é a ferrovia mais bem-posicionada do Brasil, devido ao seu perfil de carga mais resiliente, ao histórico de FCF positivo, à sua base de clientes cativos – que também são seus acionistas – e à menor alavancagem líquida.

Já não tenho a menor dúvida de que a MRS deveria negociar com um prêmio sobre a Rumo, em condições iguais de liquidez, talvez mais próxima dos pares internacionais.

Isso levaria o valor justo para acima de R$100,00 por ação.

3 curtidas