Reforma tributária

LAIR 100,00 100,00 100,00 100,00
Impostos 26,00 26,00 26,00 26,00
Lucro Líquido 74,00 74,00 74,00 74,00
Payout 100% 75% 50% 25%
Dividendos 74,00 55,50 37,00 18,50
Impostos 11,10 8,33 5,55 2,78
Alíquota 37,1% 34,3% 31,6% 28,8%
9 Curtidas

Se a tributacao for de 15%, então parece que empresas com payout < 70% vao pagar menos imposto.

Fiz essa simulacao (nao leva em conta o JCP e no caso de financeiras tem que considerar o CSLL maior): image

Isso faz sentido?

Edit: enquanto fazia vi que o Sr. Fouquet fez algo similar…

O problema com a extinção JCP poderia ser mais que compensado fazendo recompra de ações…

8 Curtidas

Pegando um banco que pague 50% dos lucros em JCP. Ele tem uma isenção de 7,5% no IRPJ. Como a redução foi de 8% ao todo (7% no IRPJ e 1% na CSLL), o resultado me parece ser neutro nesse caso.

8 Curtidas

Acho difícil alguma empresa ter um payout acima de 50% agora

8 Curtidas

@a103 - salvo engano, o Neto fez esta projeção com base na alíquota de 20%. Considerando a “redução” para 15%, pode ser que um Payout de 70% ainda seja vantajoso, conforme mensagem do @salles acima.

7 Curtidas

Isso

já está confirmado que vai ser 15%?

Menos mal

2 Curtidas

Olha o destaque da reforma do IR que o PT sugeriu:

“Uma tentativa de aumentar a alíquota para 25%, sugestão do PT, também foi derrotada com um placar de 295 a 110”

Poderia ser ainda pior.

5 Curtidas
1 Curtida

E a questão da pejotizacao , alguém já foi atrás de saber… em um raciocínio rápido uma pessoa física q ganha seus 5k e investe sofridamente na bolsa vai pagar mais impostos sobre dividendos do que uma pessoa física que malandramente se pejotizar. Então , um médico que ganha seus 100k por mês vai pagar menos do que a pessoa física com seus 5k…ou estou enganado ?

4 Curtidas

Sim, equivale a um subsídio cruzado, taxando investidores em bolsa em 15% nos dividendos e eliminando JCP enquanto isentam a turma do simples…

4 Curtidas

Taxação de lucros e dividendos: Alíquota de 15% sobre lucros e dividendos distribuídos pelas empresas, que antes eram isentos. Seguem isentos os lucros e dividendos distribuídos por empresas do Simples e do regime de lucro presumido que faturem até R$ 4,8 milhões, além de dividendos de até R$ 20 mil distribuídos por pequenos negócios e entre integrantes do mesmo grupo econômico.

Fundos: Torna anual o “come-cotas” para os fundos abertos e unifica em unifica em 15% o IR sobre os investimentos, independentemente do prazo de aplicação (hoje varia de 15% a 22,5%, conforme o prazo).
(Adorei isso aqui…)

Pessoas físicas: Atualização da tabela do IRPF, com correção de 31% na faixa de isenção e de cerca de 13% nas demais faixas. Com isso, a isenção de IR sobe para pessoas com renda de até R$ 2,5 mil (hoje o limite é de R$ 1.903,98). Expectativa do governo é que os isentos passem de 10,7 milhões para 16,3 milhões de pessoas.

Declaração simplificada de IRPF: Qualquer faixa salarial pode optar por esse modelo. Quem optar pode abater 20% de IR sobre rendimentos tributados, até o limite de R$ 10.563,60 (hoje o limite é de R$ 16.754,34).

IRPJ: Corte de 7 pp (de 15% para 8%) na alíquota do IRPJ e corte de até 1 pp na CSLL, vinculado à redução de incentivos tributários destinados a setores específicos. Mantém previsão de abatimento para empresas de despesas com vale-alimentação pagas ao trabalhador.

JCP: Extingue os Juros sobre Capital Próprio, que remuneram acionistas e traz vantagens tributárias às empresas.

Cfem: Cria alíquota adicional de 1,5% da Compensação Financeira por Exploração Mineral (Cfem) sobre ferro, cobre, bauxita, ouro, manganês, caulim, níquel, nióbio e lítio. Amplia a fatia dos recursos para Estados e municípios da Cfem e diminui da União.

Fim de incentivos a setores: Fim da isenção de IR sobre auxílio-moradia de servidores, sobre crédito presumido a produtores e importadores de medicamentos, sobre produtos químicos e farmacêuticos, sobre termelétricas a gás natural e carvão.

8 Curtidas

Teve também a questão da apuração trimestral e compensar 100% dos prejuízos na PJ no exercício imediatamente seguinte (hoje é 30%). Depois da ira matinal, dá para dizer que não ficou ruim. 15% pra tudo, baixou o IRPJ… Mas me parece que tiraram o limite de 20 mil de dividendos para isenção, lobby de médicos e advogados pesou. Foi o ponto mais negativo a meu ver. Talvez desse para baixar mais 1% do IRPJ com isso. 26% não ficou mal. China, Holanda, Coréia, 25%… Ha quem cobre menos, mas o imposto sobre dividendos ficou legal nesse contexto.

Agora vamos para as outras alas do manicômio que tem lugar muito pior.

3 Curtidas

Pelo que entendi, será isso mesmo. Será mantido o que é hoje, quem é PJ pelo simples, pelo que entendi não muda nada. Entao se o cara trabalha como PJ, retira o valor como dividendo e ganha menos que 4,xKK por ano, não tem taxação.
É isso mesmo?

1 Curtida

O abençoado que ganha 400k por mês continua “isento”. O elenco da globo agradece.

6 Curtidas

Pergunta. Alguém que olhou com calma sabe como vai ficar a tributação dentro do ETF? Não estou dizendo do ETF pro investidor, mas a distribuição de dividendos das empresas pro etf, é isenta ou tributada?

Porque pra mim se for isenta que nem nos FIA os etfs de uma hora pra outra ganham muita atratividade.

1 Curtida

espera chegar 2023 … esses 15 de hj é so a largada …

1 Curtida

Pelo que estou vendo, creio que não. Um payout de 63% faria a empresa ficar no zero a zero . Acima disso ela teria prejuízo , segundo a tabela de um tyoutuber aqui. Vou colar aqui:

As elétricas, bancos e seguradoras são as que mais vão se prejudicar nessa historinha. A gente no caso né, principalmente eu, ja que são os 3 setores q estou mais concentrado.

Acho que vou acabar repensando minha estratégia e me posicionando mais em empresas de crescimento agora

3 Curtidas

O ganho de capital com fiis vai ser taxado em 15% a partir de 2022? Desde já obrigado.