TAEE11 - Taesa

#41

A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (“Taesa” ou “Companhia”) comunica seus acionistas, o mercado em geral e demais interessados que tomou conhecimento sobre a aprovação pela Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (“SUDENE”), através das Resoluções nº 338/2018 e 339/2018, do pleito de redução fixa de 75% do Imposto de Renda Pessoa Jurídica - IRPJ pelo prazo de 10 anos, de interesse das empresas transmissoras Interligação Elétrica Paraguaçu S.A. (“Paraguaçu”) e Interligação Elétrica Aimorés S.A. (“Aimorés”), o qual lhes confere o direito ao incentivo fiscal, ficando obrigadas a informar a SUDENE da efetiva entrada em operação dos empreendimentos, no ano de suas ocorrências, ocasião em que apresentarão as informações previstas no regulamento vigente, com vista à emissão dos laudos constitutivos para fins de fruição do benefício fiscal.

1 Like

#42

Aproveitando a thread… Se eu por acaso trocar todas as minhas units por ONs, sem me preocupar com a questão da liquidez, eu acabaria recebendo os mesmos valores de dividendos? Digo valor bruto, relativo à minha posição bruta em ações.

Além disso, eu não estaria mais “protegido” por possuir as ONs do que as units no caso desta privatização?

2 Likes

#43

Taesa paga o mesno percentual para todas as classes, tanto ON quanto PN.
Taesa tem tag along de 100% para todas as classes, e isso se estende pra Unit.

2 Likes

#44

Legal. Já ouvi muita coisa a respeito de unit. Mas pelo que entendi aqui não tem este risco. Obrigado!

1 Like

#45

Ainda é um bom momento para aporte em TAEE ou há opções mais interessantes?

1 Like

#46

Ainda está atrativa.

1 Like

#47

Na minha opinião até uns 25,30 está em um ótimo valor…com uma boa margem (bom retorno x risco)… muito em virtude de uma pequena subida na dívida (nada que assuste), acredito que até uns 26 27 reais ainda da para encarar… mais ai seria interessante esperar os resultados para ter ctz. O [email protected] poderá te dar uma opinião até melhor que a minha rs…

2 Likes

#48

esse ano vai ter um IGPM menor ( ao menos é a tendencia ) oque vai impactar a remuneração que a empresa utiliza para payout, imagino a Taesa pagando pouco menos dividendo esse ano em relação a ano passado, os novos projetos so começão a operar ano que vem, e as aquisições que ela fez não vejo como repor todo o impacto do IGPM + RAP que caiu ano passado, e como é um papel bem sensivel a isso, acho que alguns que não entendem a dinamica devem liquidar o papel visto o bom UP que teve nos ultimos 12M , por tanto eu entraria parcial , acho que teremos janelas ao longo do ano nela.

4 Likes

#49

@cadu, se caso eu quisesse exercer o meu direito de tag along, como funciona esse procedimento?

1 Like

#50

Não tem como. Vc só tem esta opção em caso de venda do controle da empresa. Se alguma empresa pagar tipo 30 reais por ação pelo controle, pelo fato de ter tag along de 100%, a parte compradora é obrigada a oferecer a todos os acionistas minoritarios este mesmo valor. E aí cabe a vc se vai vender a sua posição neste preço ou não.

1 Like

#51

Ah, blz!
Eu imaginava que a gente é que precisava entrar em contato com a corretora nesse caso!
Valeu pelo esclarecimento!

1 Like

#52

Ótimo resultado.

2 Likes

#53

É sim…
Lucro por ação R$ 1,03658.
Muito bom.

1 Like

#54

Excelente resultado, vem dividendos gordos por aí :sunglasses:

1 Like

#55

Que resultado 20190329_081004

0 Likes

#56

ja veio, por hora so a raspinha que faltava , deu 0,17 por unit

0 Likes

#57

Cadu qual a diferença da receita regulatoria e IFRS? Qual eu considero no FCD.

0 Likes

#58

Resultado veio bom, mas acho que os mais pra frente que vão vir de cair o queixo! Empresa investiu muito pesado ano passado, CaPex altíssimo! Tem um futuro brilhante… payout surreal, gestão impecável, não é a toa que são nível 2 na bolsa, e ainda pode vir a sofrer uma forte valorização se a CEMIG passar o controle da empresa, e isso já foi dito pelo Zema que está em pauta

1 Like

#59

Resumindo, o IFRS é o oficial, e o Regulatório é um reserva.

No Resultado Regulatório a seguir apresentado, preparado com base na estrutura vigente no Manual de Contabilidade do
Setor Elétrico, emitido pela ANEEL, todos os investimentos realizados nas construções das linhas de transmissão e
subestações são registrados como ativo imobilizado e os efeitos decorrentes da aplicação do CPC 47 (IFRIC 15) são
eliminados, incluindo os impactos fiscais (IR e CSLL diferidos e PIS e COFINS diferidos) reconhecidos sobre as diferenças
temporárias oriundas da aplicação dessa interpretação. Além disso, a partir do primeiro trimestre de 2018, a fim de alinhar
o Resultado Regulatório com as demonstrações financeiras apresentadas para a ANEEL, a Companhia passou a
apresentar na linha “RAP Concessionárias” os valores referentes a RAP (Receita Anual Permitida) que não são
contabilizados no Ativo Contratual. Estes valores anteriormente eram apresentados na linha de Outras Receitas,
acompanhando o Resultado IFRS. É importante mencionar que o Resultado Regulatório não é auditado.

0 Likes

#60

Obrigado Cadu pela resposta. Só ficou uma dúvida, quando vc faz o FCD vc coloca no LPA o valor IFRS ou Regulatório.

1 Like