VALE3 - Vale


#1

Vale reverte prejuízo e lucra R$ 1,842 bilhão no 3º trimestre de 2016

No mesmo período de 2015, mineradora teve prejuízo de R$ 6,663 bilhões.

Resultado foi puxado por maior volume de vendas e preços mais altos.

g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/10/vale-reverte-prejuizo-e-lucra-r-1842-bilhao-no-3-trimestre.html


VALE3
#2

Projeto da Vale S11D obtém licença de operação do Ibama

S11D é o maior projeto de minério de ferro da história da empresa e da indústria da mineração, e não terá necessidade de barragens de rejeitos.

Por G1, 09/12/2016

A Vale recebeu licença de operação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) para iniciar a exploração no projeto S11D, no Pará – “maior projeto de minério de ferro da história da empresa e da indústria da mineração”, segundo a companhia. A previsão é que o empreendimento entre em operação comercial em janeiro de 2017.

A licença de operação é válida por 10 anos e inclui mina para extração de minério de ferro, usina de beneficiamento, acessos, pilhas de estéril, diques e demais estruturas auxiliares.

“A decisão ocorreu após a conclusão, no último dia 30/11, de parecer técnico que apontou não haver óbices à emissão da licença de operação”, informou o Ibama.

A licença estabelece o cumprimento de 16 condicionantes específicas pela empresa.
O projeto S11D não contempla barragens de rejeitos. Segundo o Ibama, o beneficiamento do minério ocorrerá sem a necessidade de adição de água, tornando desnecessário o estabelecimento de barragens de rejeitos. “Isso se deve à combinação da qualidade do minério a ser lavrado com a tecnologia de beneficiamento proposta durante a análise de viabilidade ambiental do empreendimento”, informou o Ibama.

'Maior mina do mundo’
A mina está localizada em Canaã dos Carajás, no Sudeste do Pará. Está prevista a produção de até 90 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. O empreendimento entrará em operação comercial em janeiro de 2017.

Em comunicado ao mercado, a Vale informou que o conjunto de mina e planta do projeto alcançou 96% de avanço físico em 30 de outubro de 2016 e os testes com carga estão progredindo com sucesso. “O start-up do S11D acontecerá em 2016 com o primeiro embarque comercial em janeiro de 2017”, disse a empresa.

Os investimentos totais anunciados são de US$ 14,3 bilhões, sendo US$ 6,4 bi aplicados na implantação da mina e da usina e US$ 7,9 bi referentes à construção de um ramal ferroviário de 101 quilômetros, à expansão da Estrada de Ferro Carajás (EFC) e à ampliação do Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís (MA).

A estrutura da mina e da usina de processamento de minério de ferro conta com 3 linhas de produção - cada uma com capacidade de processamento de 30 milhões de toneladas/ano.

O empreendimento recebeu o nome S11D em razão da sua localização. Na Serra Norte, está a Mina de Carajás, em operação desde 1985, situada em Parauapebas, município vizinho a Canaã. Para fins geológicos, o S11D é apenas um bloco do corpo que foi dividido em quatro partes: A, B, C e D.
A vida útil da mina está estimada em 48 anos. O potencial mineral do corpo S11 é de 10 bilhões de toneladas de minério de ferro, sendo que só o bloco D possui reservas de 4,24 bilhões de toneladas.

“O minério será lavrado a céu aberto e levado da mina até a usina por meio de um Transportador de Correia de Longa Distância (TCLD). A usina, os pátios de estocagem e regularização de minério, as pilhas de estéril e canga (minério de ferro com teor mais alto de contaminantes) e a área de manobra e carregamento de trens estão localizados em antigas áreas de pastagem, fora da Floresta Nacional de Carajás (FLONACA), uma unidade de conservação que a Vale ajuda a proteger desde a sua criação, em fevereiro de 1988”, informou a Vale.


#3

Vale conclui venda de fatia em mineradora por US$113 mi para Hydro
A Hydro já tinha participação majoritária no ativo

SÃO PAULO - A mineradora Vale informou nesta quinta-feira que concluiu a venda de sua participação restante de 13,63 por cento na Mineração Paragominas, no Pará, para a norueguesa Norsk Hydro, por 113 milhões de dólares.
A transação está relacionada à venda dos ativos de alumínio da Vale anunciada em 28 de fevereiro de 2011, segundo informação da empresa em comunicado.

A Hydro já tinha participação majoritária no ativo. “A transação é consistente com a estratégia da Vale de fortalecer seu balanço e focar em ativos core”, disse a companhia, que busca vender ativos não essenciais visando reduzir seu endividamento.


#4

Vale anuncia venda de ativos de fertilizantes por US$ 2,5 bilhões para a Mosaic
A transação totalizou aproximadamente US$ 2,5 bilhões, dos quais US$ 1,25 bilhão será pago em dinheiro e US$ 1,25 bilhão em aproximadamente 42,3 milhões de ações ordinárias a serem emitidas pela Mosaic.

SÃO PAULO - A Vale (VALE3;VALE5) anunciou nesta segunda-feira (19) a celebração de um acordo de compra de ações com a Mosaic para vender seu negócio de Fertilizantes, excluindo seus ativos de nitrogenados e fosfatado em Cubatão.
Uma vez concluída a transação, a Vale venderá para a Mosaic: (a) os ativos de fosfatados localizados no Brasil, exceto os baseados em Cubatão; (b) a sua participação em Bayóvar, no Peru; © os ativos de potássio localizados no Brasil, incluindo o projeto de Carnalita; e (d) o projeto de potássio no Canadá (Kronau). A inclusão do projeto de potássio de Rio Colorado no escopo da transação está sujeita à aceitação da Mosaic após o término da due diligence.

A transação com a Mosaic totalizou aproximadamente US$ 2,5 bilhões, dos quais US$ 1,25 bilhão será pago em dinheiro e US$ 1,25 bilhão em aproximadamente 42,3 milhões de ações ordinárias a serem emitidas pela Mosaic.


#5

#6

#7

http://braziljournal.com/mudancas-na-mineracao-avanco-e-retrocesso


#8

#9

#10

#11

P/L da VALE 14,00 - parece-me bom negócio um P/L desse para uma empresa dessa.


#12

Vale: fundações vão vender, mas não é pra já
Geraldo Samor

http://braziljournal.com/vale-fundacoes-vao-vender-mas-nao-e-pra-ja


#13

Qual a impressão de vocês sobre a nova política de dividendos anunciada pela Vale?


#14

Achei positiva, vincularam os dividendos a algo em torno de 30% do EBITDA ajustado, pagando semestralmente. A vantagem p/ o acionista é que desta forma o valor vai oscilar muito menos do que o lucro líquido, que está exposto a variações cambiais por exemplo.


#15

Eu gostei também, acho que agora vale a pena investir na empresa.


#16

Sim…vale muito…P/L baixo demais p essa empresa…alem de tudo o mais…duro q o preco do minerio anda em baixa


#17

Mas é com o minério em baixa que se compra ações da Vale!
E considero o minério em um preço razoavelmente alto no momento (acima de 70)


#18

Verdade…a hora é na baixa…minha citacao foi apenas no sentido do grafico do minerio


#19

Então, pessoal que é bom em calcular preço justo, vocês consideram que ainda há espaço para a Vale se valorizar muito mais ou vai estabilizar daqui para frente?


#20

Hoje me sentiria confortável comprando lá pelos R$30,00, acima disso prefiro ficar de fora.