ABCB4 - Banco ABC Brasil


#1

São Paulo, 4 de novembro de 2016 - O Banco ABC Brasil (BM&FBOVESPA: ABCB4 - Nível 2 de Governança Corporativa) anuncia hoje seus resultados referentes ao terceiro trimestre de 2016.

Destaques

O Lucro Líquido atingiu R$ 102,8 milhões no terceiro trimestre de 2016, crescimento de 7,2% em relação aos R$ 95,9 milhões do mesmo período de 2015 e queda de 1,3% em relação aos R$ 104,1 milhões do trimestre anterior.

O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente atingiu 15,0% a.a. no terceiro trimestre de 2016, redução de 0,7 p.p. em relação aos 15,7% a.a. do trimestre anterior e de 1,2 p.p. em relação aos 16,2% a.a. do mesmo período de 2015.

A Carteira de Crédito Expandida* encerrou setembro de 2016 com saldo de R$ 21.216 milhões, crescimento de 1,0% no trimestre e queda de 2,3% nos últimos 12 meses. No segmento Large Corporate a carteira aumentou 0,7% no trimestre e reduziu 0,5% nos últimos 12 meses, e no segmento Corporate houve crescimento de 2,7% no trimestre e queda de 12,2% nos últimos 12 meses.

Qualidade da Carteira: 93,4% das operações com empréstimos e 98,9% das operações com garantias prestadas estavam classificadas entre AA e C ao final de setembro de 2016, de acordo com a Resolução 2.682 do Banco Central. Considerando as duas carteiras, o índice foi de 95,9%.

  • Carteiras de Crédito Expandida: inclui as carteiras de empréstimos, garantias prestadas
    e títulos privados.

#2

Como sempre, um relógio! ABCB4 - 2016

Destaques

O Lucro Líquido recorrente atingiu R$ 411,0 milhões em 2016, apresentando crescimento de 10,5% em relação aos R$ 371,8 milhões apresentados em 2015. No quarto trimestre de 2016, o lucro líquido foi de R$ 108,5 milhões, crescimento de 5,6% em relação aos R$ 102,8 milhões do trimestre anterior, e aumento de 2,9% em relação aos R$ 105,5 milhões do mesmo período do ano anterior.

O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente atingiu 15,2% a.a. em 2016, redução de 0,7 p.p. em relação aos 15,9% a.a. de 2015. No quarto trimestre de 2016, o ROAE também foi de 15,2% a.a., apresentando crescimento de 0,2 p.p. em relação aos 15,0% a.a. do trimestre anterior e redução de 1,8 p.p. em comparação aos 17,0% a.a. do mesmo período de 2015.

A Carteira de Crédito Expandida* encerrou dezembro de 2016 com saldo de R$ 22.700,4 milhões, crescimento de 7,0% no trimestre e de 5,4% no ano de 2016. No segmento Large Corporate, a carteira aumentou 6,8% no trimestre e 7,3% no ano e, no segmento Corporate, houve crescimento de 8,3% no trimestre e redução de 4,8% no ano.

Qualidade da Carteira: 94,1% das operações com empréstimos e 98,8% das operações com garantias prestadas estavam classificadas entre AA e C ao final de dezembro de 2016, de acordo com a Resolução 2.682 do Banco Central. Considerando as duas carteiras, o índice foi de 96,2%.


#3

São Paulo, 04 de maio de 2017 - O Banco ABC Brasil (BM&FBOVESPA: ABCB4 - Nível 2 de Governança Corporativa) anuncia hoje seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2017.

Destaques

O Lucro Líquido recorrente atingiu R$ 111,2 milhões no trimestre, crescimento de 2,4% em relação aos R$ 108,5 milhões do trimestre anterior e de 16,3% comparado aos R$ 95,5 milhões do mesmo período do ano anterior.

Em março de 2017 o Banco recomprou US$ 201,4 milhões das Notas Subordinadas emitidas no exterior, encerrando o trimestre com saldo de US$ 143,1 milhões. A operação causou impacto de R$ 14,3 milhões, líquido de impostos, resultando em um Lucro Líquido contábil de R$ 96,9 milhões no trimestre.

O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente foi de 15,1% a.a. no trimestre, redução de 0,1 p.p. em relação aos 15,2% a.a. do trimestre anterior e aumento de 0,1 p.p. comparado aos 15,0% apresentado no mesmo período de 2016.

A Carteira de Crédito Expandida* encerrou março de 2017 com saldo de R$ 22.936,3 milhões, crescimento de 1,0% no trimestre e de 7,2% em doze meses. No segmento Large Corporate, a carteira aumentou 0,2% no trimestre e 6,5% em doze meses, e no segmento Corporate, houve crescimento de 6,3% no trimestre e de 11,4% em 12 meses.

Qualidade da Carteira: 94,2% das operações com empréstimos e 98,9% das operações com garantias prestadas estavam classificadas entre AA e C ao final de março de 2017, de acordo com a Resolução 2.682 do Banco Central. Considerando as duas carteiras, o índice foi de 96,4%.


#4

Como sempre um relógio!


#5

Continua um relógio, sem surpresas!

ABCB4 - 2T 17

O Lucro Líquido Recorrente atingiu R$ 107,1 milhões no segundo trimestre de 2017, queda de 3,6% em relação aos R$111,2 milhões do trimestre anterior e crescimento de 2,9% comparado aos R$ 104,1 milhões do mesmo período de 2016. No primeiro semestre de 2017, o Lucro Líquido Recorrente atingiu R$ 218,3 milhões, crescimento de 9,3% em relação aos R$ 199,6 milhões apresentados no mesmo período do ano anterior.

O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente foi de 14,0% a.a. no trimestre, redução de 1,1 p.p. em relação aos 15,1% a.a. do trimestre anterior e de 1,7 p.p. comparado aos 15,7% apresentado no mesmo período de 2016.

A Carteira de Crédito Expandida* encerrou junho de 2017 com saldo de R$ 22.905,5 milhões, permanecendo estável no trimestre e crescendo 9,0% em 12 meses. No segmento Large Corporate, a carteira encolheu 1,2% no trimestre e cresceu 6,4% em 12 meses, e no segmento Corporate, houve crescimento de 6,0% no trimestre e de 25,3% em 12 meses.

Qualidade da Carteira: 92,8% das operações com empréstimos e 98,8% das operações com garantias prestadas estavam classificadas entre AA e C ao final de junho de 2017, de acordo com a Resolução 2.682 do Banco Central. Considerando as duas carteiras, o índice foi de 95,5%.


#6

#7

ABCB4 - 3T 17
Resultado razoável p/ fraco. Apresentou estabilidade nos números, sendo alguns com uma piora marginal, como no ROE (-1,7%), NIM (-0,5%), e índice de eficiência.


#8

Caiu bem ontem, chegou a cair mais de 5%.
Aproveitei e aumentei posição.


#9

AVISO AOS ACIONISTAS

AUMENTO DE CAPITAL MEDIANTE
SUBSCRIÇÃO PARTICULAR DE AÇÕES

Banco ABC Brasil S.A. (“Companhia”), vem a público comunicar aos Senhores Acionistas e ao Mercado que, em reunião do Conselho de Administração realizada em 22 de dezembro de 2017, foi aprovado o aumento do capital social dentro do limite autorizado da Companhia, no valor de até R$ 87.446.000,00 (oitenta e sete milhões, quatrocentos e quarenta e seis mil Reais) mediante emissão de até 7.014.397 novas ações, sendo 3.596.542 ações ordinárias e 3.417.855 ações preferenciais, com a utilização de crédito dos juros sobre capital próprio deliberados nesta data ou em moeda corrente nacional.

A emissão será feita através de subscrição particular, de acordo com os seguintes termos e condições:

  1. Os acionistas poderão exercer o direito de preferência na subscrição de ações na proporção de 3,627278222% sobre a posição acionária que possuírem em 28/12/2017, inclusive, no prazo que inicia-se em 02/01/2018 e termina em 02/02/2018;
    1.1. A data base da posição acionária que será considerada para o pagamento do JCP (dia 28/12/2017) será a mesma data base que será considerada para o direito de preferência na subscrição (dia 28/12/2017);
  2. As ações adquiridas a partir de 02/01/2018, inclusive, não farão jus ao direito de preferência (negociação ex-subscrição);
  3. Os acionistas participantes da custódia fungível da B3 - Brasil, Bolsa, Balcão, cujas ações estejam depositadas na Central Depositária de Ativos, deverão exercer os respectivos direitos de preferência por meio de seus agentes de custódia e de acordo com as regras estipuladas pela própria Central Depositária de Ativos, obedecidos os prazos e condições estabelecidos neste Aviso aos Acionistas.
  4. Para os acionistas com ações custodiadas no Itaú Unibanco S.A. (Custodiante), os boletins de subscrição estarão disponíveis nas agências especializadas no período de 02/01/2018 a 02/02/2018, sendo que uma via do boletim será enviada pelos Correios para aqueles com endereço atualizado nos registros do Custodiante;
  5. Os endereços das agências especializadas podem ser consultados no site do Custodiante:www.itaucustodia.com.br ou pelo telefone (11) 3003-9285;
  6. O direito de preferência poderá ser livremente cedido a terceiros, nos termos do art. 171, § 6º da Lei nº 6.404/76;
  7. O preço de emissão por ação (ordinária e preferencial) é de R$ 12,466643921 fixado com base na média ponderada das cotações das ações preferenciais negociadas nos últimos 8 pregões, do dia 12 ao dia 21 de dezembro de 2017, com aplicação de deságio de 20%. A utilização da cotação de mercado das ações preferenciais como critério para determinação do preço de emissão, tanto de ações preferenciais quanto das ações ordinárias, decorre do fato das ações ordinárias não serem negociadas em bolsa de valores. O deságio tem o propósito de incentivar os acionistas minoritários a participarem do aumento de capital;
  8. A integralização das ações subscritas será no dia 09/02/2018, à vista ou com a utilização de crédito dos juros sobre capital próprio (líquido de IR) deliberados em reunião do Conselho de Administração realizada no dia 22/12/2017, devendo o acionista assinalar sua opção no Boletim de Subscrição;
  9. Caso a subscrição alcance o limite mínimo de 65% (sessenta e cinco por cento) do valor total do aumento, o mesmo poderá ser homologado em nova reunião do Conselho de Administração. Nessa hipótese, as ações não subscritas (após o leilão em Bolsa de Valores) serão canceladas;
  10. Na hipótese de haver sobras de ações não subscritas e a Companhia decidir pela homologação parcial do aumento de capital, conforme item 9 acima, os subscritores de ações emitidas no âmbito deste aumento de capital terão o direito de rever sua decisão em relação à subscrição de ações, na forma indicada em AVISO AOS ACIONISTAS a ser oportunamente divulgado.
    10.1. Assim, tendo em vista a possibilidade de homologação parcial do aumento do capital social e visando assegurar que os acionistas que desejem participar do aumento possam, no momento do exercício do direito de subscrição, condicionar sua decisão de investimento às condições finais do aumento de capital, cada acionista poderá, no ato da subscrição condicionar a subscrição do aumento que lhe cabe (a) a que haja a subscrição do valor máximo do aumento ora aprovado; (b) a receber ações em número mínimo necessário para manter suas respectivas participações no capital social da Companhia;
    10.2. Os acionistas detentores de ações ordinárias e preferenciais que queiram fazer uso dos direitos previstos neste item 10 devem fazer tal opção mediante indicação em campo próprio do Boletim de Subscrição;
    10.3. Os acionistas que optarem por reconsiderar sua decisão e tiverem subscrito ações em moeda corrente nacional receberão os valores por eles integralizados sem correção monetária;
    10.4. Presumir-se-á, na falta de manifestação expressa no Boletim de Subscrição, o interesse do acionista em manter a sua decisão de subscrição de forma integral;
  11. O aumento de capital estará condicionado à homologação pelo Banco Central do Brasil, e será ratificado em assembleia geral de acionistas a ser realizada no futuro. As ações emitidas serão creditadas aos subscritores em até 4 (quatro) dias úteis após a homologação do aumento de capital pelo Banco Central do Brasil, o que será divulgado através de publicação de novo Aviso aos Acionistas;
  12. As ações subscritas terão direito integral aos dividendos, juros sobre capital próprio e eventuais vantagens distribuídos a partir da data da homologação do aumento de capital pelo Conselho de Administração;
  13. O aumento de capital tem por objetivo reforçar a capitalização da Companhia, diante das expectativas de crescimento do volume de operações de crédito, bem como o de manter os índices de liquidez em níveis elevados.
    Procedimentos relacionados às sobras:
  14. Após o término do período para o exercício de preferência, no caso de sobra de ações, será aberto um período adicional de 5 (cinco) dias úteis para subscrição das mesmas, na forma de rateio entre os acionistas que houverem manifestado, no Boletim de Subscrição a intenção de participarem nas sobras, sendo certo que as participações nas sobras observarão a proporção da subscrição exercida em cada classe de ações;
  15. A subscrição de sobras de ações será integralizada à vista, em moeda corrente nacional;
    2.1. Os acionistas com ações custodiadas na Central Depositária B3 - Brasil, Bolsa, Balcão, deverão exercer seus direitos de subscrição nas sobras junto aos respectivos Agentes de Custódia;
    2.2. Para os acionistas com ações custodiadas no Itaú Unibanco S.A. (Custodiante), deverão exercer seus direitos de subscrição nas sobras junto às agências especializadas do Custodiante;
  16. Na hipótese de ações remanescentes, não subscritas durante o período adicional mencionado no item anterior (sobras das sobras), estas ações remanescentes serão vendidas por meio de leilão a ser realizado na B3 - Brasil, Bolsa, Balcão, conforme disposto no art. 171, § 7º, da Lei nº 6.404/76;
  17. Alcançado o valor do limite mínimo do valor total do aumento (65%) as ações não subscritas (apuradas após o leilão em Bolsa de Valores) serão canceladas;
  18. O valor apurado em leilão, que ultrapassar o valor da subscrição, será creditado à Companhia.
    Cronograma estimado:
    Período de subscrição: de 02/01/2018 a 02/02/2018
    Pagamento de Juros sobre Capital Próprio referente aos 3º e 4º trimestres de 2017: 09/02/2018(valor bruto por ação: R$ 0,5320);
    Período adicional para subscrição de sobras: 19/02/2018 a 23/02/2018;
    Os recibos de subscrição serão negociáveis a partir de 14/02/2018, e serão convertidos em ações após a homologação da subscrição pelo Banco Central do Brasil;
    Reunião do Conselho de Administração para deliberar sobre a homologação do aumento de capital:data a ser definida.

São Paulo, 22 de dezembro de 2017.


#10

Olá. Perdi o período de subscrição. Ainda considera uma boa comprar ações ABCB4? Ela ficou em 1° na Cafi de janeiro 2018, está contada a 16,60. Li em um forum que o preço justo da ação é 37 reais, será?.
Com a subscrição (aumento no número de ações),o preço dela, deveria cair, correto?


#11

Eu não entraria agora, pois ela subiu demais em um curto período de tempo. Na verdade eu até diminui posição nela hoje.

Quanto a subscrição, ela é um percentual muito pequeno, menos de 4%, então não vai ter força para puxar o preço para baixo por conta disso.

Para quem está de fora, eu esperaria uma recuo para entrar.


#12

perdi o período de subscrição
Período de subscrição: de 02/01/2018 a 02/02/2018

Não entendi. Você perdeu o prazo para ser detentor de ações (28/12/2017), é isso?


#13

Entendo. Obrigado pelo esclarecimento.


#14

Boa tarde , cadu o acionista tem direito de comprar 3,6% do total de ações que ele detém ?


#15

Exatamente. Se vc ficou comprado no dia COM da subscrição, vc tem este direito. Para saber tem de olhar sua custódia e ver se aparece nela ABCB2 em X qtdade (que seriam os 3,6% sobre o seu total de ações). Caso tenha, pode entrar em contato com a corretora e pedir a subscrição total. Vale a pena, pois o preço de subscrição está muito baixo. A data de liquidação financeira desta subscrição é somente dia 02/02. Lembrando que no mesmo dia ela tb ficou COM proventos, e este valor a ser depositado na sua conta, pouco antes do dia de liquidação, é o mesmo necessário para subscrever. O banco pensou em tudo!


#16

Valeu cadu!


#17

Eu já mandei pedido para subscrição, será, muito provavelmente, minha primeira “compra” de 2018…


#18

ABCB4 - 4T 17
A empresa é um relógio! Outro bom resultado.

abcb


#19

Impressionante mesmo. Excelente empresa para ter na carteira enquanto continuar assim!


#20

@cadu me ajuda aí…rsrs uns tenho ações do Banco ABC Brasil. Esse mês na minha carteira de ações aparecerem ações abcb10…é algum tipo de subscrição ?

Abraços