Coronavirus - informações oficiais

Não tinha visto isso, não sei dizer do que se trata, mas parece ser o app, certo? Eu olhei apenas os resultados que foram divulgados no site. Eles costumam fazer a separação entre remédios e terapias (ventilador p.e.), ou não-medicamentos como vitaminas.

Embaixo tem a última pesquisa, do dia 7 de Maio, são 6 mil e poucos médicos:

Os tratamentos mais promissores tem sido a Gamma Globulina e o plasma. Imagino que nos hospitais de primeira linha já estejam ministrando isso. Sobre a controversa hidroxicloroquina, eis o que diz a pesquisa:

Hydroxychloroquine

  • Overall usage: In Week 6, Hydroxychloroquine is still the most widely used drug following Azithromycin.
    • Globally 55% of physicians report using Hydroxychloroquine. Its use in various settings breaks down as follows: 37% of physicians prescribe it outside the hospital for mild cases, 59% for moderate cases when patients get into the hospital, and 50% in the ICU.
  • Usage over time: We see a 22-point increase in use from Week 1. Usage from Week 1 to Week 6 has increased significantly with 33% of physicians having used Hydroxychloroquine in Week 1 vs. 55% in Week 6.
  • Geographic usage : Usage around the world varies widely; in the U.S., 46% of physicians report using it; that is significantly lower than other countries such as Italy (83%), Spain (78%), Mexico (76%), Brazil (85%), and China (62%). Usage in Great Britain is much lower at 19% and Germany at 13%.
  • Efficacy: Globally 27% of physicians feel that it is highly effective. However, it is felt to be more effective outside of the hospital in mild-symptom patients (32%). This trend follows what we see in usage (higher usage in mild patients).Efficacy perceptions for Hydroxychloroquine were higher in Week 1,where physicians perceived it as the most highly effective drug.
  • Safety: Despite being ranked as one of the least safe drugs (29% of physicians rated it as highly safe), it is still widely used.

Sobre os suplementos, não estou encontrando a tabela que havia visto, mas resumindo: Zinco, Vitamina D e Vitamina C são os mais comuns.

4 Curtidas

Então, tirei do endereço abaixo, onde teoricamente era pra ser em tempo real, na aba tratamentos… eles dividem por caso (precoce, internado e na uti)…

3 Curtidas


Grafico (do tipo bar race) com o numero de mortes novas registradas diariamente do COVID (usando media movel): https://public.flourish.studio/visualisation/2559820/

3 Curtidas

deve ser um site esquerdista q bombou as mortes no br…só pode…globo lixo.

1 Curtida

Faltou ser pro proporção de habitantes.

4 Curtidas

Seria bom se atentar pro texto, que montou uma manchete sensacionalista, com base neste dado:

"o período entre 13 e 20 de maio."

Se quiser um gráfico real e atualizado: https://www.worldometers.info/coronavirus/?utm_campaign=homeADemocracynow(2020)%20dvegas1?

E aqui o gráfico em log:

1 Curtida

Em outros períodos a Suécia também ganhou o 1º lugar. E na comparação com os países vizinhos então…


Ficar querendo impor manchetes conclusivas com base em um período pequeno de dados é piada.

Sobre a comparação com os países vizinhos, estes adotaram isolamento ou lockdown. Ou seja, vão “achatar” a curva, diminuem o pico, mas aumentam o tempo de exposição da epidemia. Isso sem nem contar o efeito devastador na economia.

A mídia quer de forma desesperada provar que o caso da Suécia foi um desastre, mas quando vc olha gráficos comparativos de forma ampla (que não sejam maliciosos querendo provar o seu viés), vc tem uma ideia real da coisa - Coronavirus - informações oficiais

OBS: no link que postou, lá no meio do texto: "No curso de toda a pandemia, porém, Bélgica, Espanha, Itália, Reino Unido e França ainda estão à frente da Suécia. "

OBS2: este link que postou usa o MESMO período pequeno de tempo do primeiro link que vc postou e eu critiquei, seria bom ler o texto antes, e não somente a manchete. É exatamente este tipo de coisa esdrúxula que a mídia usa como artifício pra querer provar algum argumento do seu viés.

4 Curtidas

Também concordo que a manchete é bem sensacionalista, mas acho que o gráfico normalizado pela população é mais importante que o número de mortos por milhão… o número atual é só uma fotografia, e enquanto a curva continuar com a inclinação grande vai continuar subindo… Por exemplo, passamos a Alemanha em número de mortos por milhão, e a uma semana estávamos bem atrás…

Com base que o que piora a situação para mim é a falta de leitos e não o vírus por si só, o que parece mais inteligente a se fazer é liberar/fechar as regiões do país de acordo com a taxa de novos casos e o número de leitos disponíveis (vi que alguns estados já estão fazendo isso)…

Agora, sobre economia, saiu um estudo (ainda não revisado) que fala mais o menos o que eu falava aqui, que o problema maior é sim o vírus e o medo que ele gera nas pessoas, mais do que o Lockdown. Não tive tempo de ler, mas parece que a atividade econômica da Suécia caiu 25%, contra 29% da Dinamarca. Tem que ver se não tem nenhuma pegadinha…

2 Curtidas

Só lembrando que a economia da Suécia tem uma boa dependência estrangeira, então já teria um impacto mesmo que lá não tivesse corona vírus.

Pra mim não é piada, não acho engraçado. Pesquisas científicas como a citadas tem um prazo, senão elas não teriam fim. Mas se não agrada, basta comparar com o número total de mortes da Suécia.

Ou seja, vão no mínimo evitar mortes, tentar não colapsar o sistema de saúde e ganhar tempo para um eventual medicação que funcione, por exemplo.

A culpa é da Mídia. Uma Teoria da Conspiração. A mídia, inclusive internacional, quer mostrar o que a maioria já acha. Botei fé.

Li a matéria, até engloba o período anterior, apesar de maior, mas vejamos, a Suécia teve mais tempo para se preparar que os países citados, levando em consideração a população da e o país que é a Suécia (IDH, infraestrutura, etc), ficar em primeiro lugar mundial já denota o erro estratégico no combate a doença em qualquer período que for. Mas independente de períodos, o total de mortes diz muito mais sobre as opções feitas pela Suécia.
image

Saiu o mapa do estudo epidemológico feito pela ufpel no Brasil

Colega, não foi pesquisa científica, mas sim uma base de dados. Pegaram um período muito curto, e usam uma manchete ocultando este fato. Não confunda as coisas…

Não teve colapso do sistema de saúde na Suécia.

Se não colapsou o sistema de saúde o país foi vitorioso. Se colapsou não.

È isto que interessa, quantidade de idosos e doenças pre-existentes são mais determinantes do que qualquer outro fator. Advinha porque no Brasil não temos pessoas morrendo em calçadas e tudo colapsando? A população brasileira é jovem, simples assim.

2 Curtidas

1 Curtida

Na maioria esmagadora dos países o objetivo 1º é evitar o maior número de mortes possíveis, sistema de saúde não colapsar é uma das condições fundamentais para isso, principalmente onde o sistema de saúde é deficiente. Me perdoe o exemplo, mas imagine que você tem 3 filhos precisando de respirador, mas só existe um disponível, e cabe a você decidir qual vai usar…

O que mais interessa é quantas vidas podem ser salvas com as atitudes corretas, mesmo com os agravantes de idosos e doenças pré-existentes. E no Pará e no Amazonas, pessoas morreram em portas de hospitais ou em seu lares por falta de atendimento ou de um leito de UTI.

1 Curtida

Pois é, e não existe nenhum tratamento realmente eficaz. Quem precisa de ventilador, a maioria vai a óbito. Logo logo, os países que mais fecharam vão sofrer a segunda onda e talvez fechem de novo. Isso foi colocado em um estudo que saiu de Harvard, seriam 2 anos de abre e fecha, talvez isso funcione em alguns lugares, mas na maior parte do mundo entraríamos no modo mad max.

2 Curtidas