ITSA3 - Itaúsa


#1

Além da BR, Itaúsa analisa gasodutos da Petrobras

Mercado teme a gestão ativa
Geraldo Samor e Natália Viri

A Itaúsa — holding pela qual as famílias Setúbal e Villela controlam o Itaú— está estudando comprar uma participação minoritária na NTS, a rede de gasodutos que a Petrobras vendeu para a Brookfield.

A Brookfield comprou 90% da NTS por cerca de R$ 17 bilhões pelo câmbio atual. Se a negociação chegar a bom termo, a holding dos Setúbal-Villela entraria com uma fatia pequena, inferior a 5% do negócio, segundo fontes dos dois lados das conversas.

Este é o segundo investimento sob análise da Itaúsa no momento. No início do mês, a holding anunciou que está estudando a compra do controle da BR Distribuidora em parceria com a Brasil Warrant e a Cambuhy Investimentos, veículos de investimento da família Moreira Salles.

O ativismo da Itaúsa é uma chacoalhada numa empresa conhecida pela gestão passiva de seu portfólio. A Itaúsa é dona de 37% do Itaú Unibanco e 35% da Duratex, além de créditos tributários e quase a totalidade das ações da Itautec e da Elekeiroz. O investimento no Itaú corresponde a 95% do portfólio da Itaúsa.

Nos últimos 30 anos, a Itaúsa não investiu praticamente nada fora do setor financeiro, uma decisão que, em retrospecto, se provou sábia. Os bancos sobreviveram e saíram mais fortes de todas as crises econômicas, e o Itaú foi o grande consolidador do sistema financeiro, crescendo cerca de 20% ao ano.

Mas quando olha para frente, a Itaúsa tem dúvidas se o futuro pode repetir o passado. Com cinco bancos grandes, o setor financeiro já parece consolidado ao limite e não apresenta mais tantas oportunidades.

“A gente começa a pensar se eventualmente os próximos 20 anos não serão melhores para outros setores,” disse o CEO da empresa, Alfredo Setúbal, numa reunião com investidores semana passada. Setúbal disse que a empresa está “repensando o portfólio” e analisando “várias oportunidades no setor de serviços e até no industrial,” mas que o Itaú Unibanco continuará sendo seu principal negócio.

Por enquanto, o discurso de inovação não está fazendo sucesso junto aos acionistas minoritários.

Como toda ‘holding company’, a ação da Itaúsa negocia historicamente a um desconto de cerca de 20% em relação à soma do valor líquido de suas participações. Desde o início do mês, quando manifestou seu interesse na BR Distribuidora, esse desconto se alargou para 27%. A Itaúsa vale R$62,4 bilhões na Bovespa.

“O mercado está desconfiado e com o pé atrás porque a Itaúsa nunca foi uma gestora ativa,” diz um investidor na holding. “Se fosse o Warren Buffett tinha prêmio [no preço da holding]; como não é, tem desconto."

Ainda que Setúbals não sejam Buffetts, o negócio em análise tem a cara da Berkshire.

Se comprar uma fatia da NTS, a Itaúsa estará entrando num negócio que — na estimativa da Brookfield — terá um retorno em dólares superior a 13% ao ano, numa métrica que considera o fluxo de caixa operacional menos os investimentos. Em carta aos acionistas publicada no começo do mês, a Brookfield afirmou que o ativo é “seguro e de alta qualidade”, e destacou que, como boa parte da rede foi construída há menos de 10 anos, o custo de manutenção é baixo, de cerca de 3% do EBITDA.

A Brookfield tem 50% do consórcio formado para a compra da NTS. A outra metade do consórcio já está nas mãos do GIC, fundo soberano de Singapura, da chinesa CIC Capital Partners, e do British Columbia Investment Management.

A parte da Brookfield se divide em dois blocos: 20% estão na Brookfield Infrastructure Partners (BIP), que concentra os investimentos em infraestrutura do grupo e permanecerá como controladora por deter uma classe diferente de ação. Os outros 30% estão com a controladora da BIP, a Brookfield Asset Management (BAM), que entrou para garantir o negócio com a Petrobras, mas já com o propósito de se desfazer da participação.

Uma fonte disse que a BAM está negociando também com fundos de pensão internacionais, que têm porte para comprar participações maiores, mas as conversas não são excludentes. A expectativa é que a venda para a Itaúsa ocorra antes mesmo do fechamento da operação, previsto para o começo de 2017.


#2

Itaúsa fará baixa contábil de R$ 260 mi referente à Elekeiroz

Por Paula Selmi | Valor SÃO PAULO - A holding de investimentos Itaúsa informou há pouco que irá reconhecer uma baixa contábil de cerca de R$ 260 milhões em suas demonstrações financeiras deste quarto trimestre, referente ao “impairment” — redução de valor de ativos — de sua controlada Elekeiroz.


#3

dado o desconto em relação ao itau , vale mais apenas investir em itausa?


#4

Eu dou preferência para ITSA mesmo.
Entretanto, cabe lembrar que ITSA deu um passo em direção a se distanciar mais de ser uma “réplica” de ITUB, e se tornar uma holding. Esta mudança de perfil, conforme a notícia que coloquei no primeiro post deste tópico, gera alguma incerteza acerca do ativo, mas pode trazer um bom ganho a LP.


#5

No gancho dos bancos, ando meio “reticente” com investimento neles, apesar de hoje possuírem um enorme lucro e caixa, vejo que a geração Z não estará muito à fim de enfrentar as atuais burocracias para utilizarem os serviços bancários daqui alguns anos.

Os maiores investimentos do ano de 2016 foram aplicados em tecnologia voltado ao serviço financeiros (as chamadas Fintech). hoje tem muita falha e serviço ineficiente que o banco presta e que abre brecha para um mercado fértil. Vide: Bancos serão as próximas vítimas da Revolução Uber

A única grande vantagem dos banqueiros é que eles tem muito poder de influência e financeiro para comprar ou até mesmo barrar algum tipo de incômodo. mas é um ponto a ser considerado para o longo prazo.


#6

Este é um ótimo ponto a se debater. Minha opinião é que um enfraquecimento dos bancos como serviço financeiro ainda vai demorar décadas aqui no Brasil. Isto porque somos um país de terceiro mundo, com uma alta população trabalhando no setor público, e com uma taxa de juros elevada. Some a isso o fato que os grandes bancos já estão se adiantando neste movimento. O Itau há uns anos atrás já lançou um plano agressivo, com foco em redução de agências físicas e aumento de agências virtuais. Indo além, os grandes bancos já estão adiantados quanto aos serviços oferecidos pelo celular, como mostra esta matéria.

Esta migração p/ nuvem dos bancos tende a reduzir custos, em especial custos trabalhistas que pesam muito aqui no Brasil, e aumentar a rentabilidade. Entretanto, também deve aumentar a concorrência entre eles. Não acredito muito em concorrentes menores crescendo a ponto de assustar os grandes aqui, pois o nosso governo é protecionista demais com os bancos.


#7

Boa noite, Cadu!
Tenho uma dúvida em relação à ITSA (e me desculpe se a dúvida for muito básica): pq vc dá preferência à ITSA3? É por causa do tag along? O número de negócios da 4 é muito maior do que o da 3…
Obrigado!


#8

o desconto em relação ao historico esta muitoa alto


#9

Então @Marcelo

a preferência pela ON, neste caso, é simplesmente pq ela está mais barata frente a PN, com um P/L menor, e um DY maior. Isso ocorre pois ela tem menos liquidez que a PN, porém não chega a dificultar um investimento p/ o investidor pessoa física, visto que o volume médio diário está em 500k.


#10

Obrigado, Cadu!
Vou avaliar as duas e decidir em qual investir.
abcs!


#11

@Marcelo,
Um adendo referente ao tag along. Neste caso não faz muito diferente entre ITSA3 e ITSA4 pois as duas possui tag along de 80%.
Abs


#12

Legal, @Rafael! Não sabia disso…
Mas nem era minha preocupação. Só estava tentando entender a preferência do @Cadu e pensei que pudesse ser pelo tag along.
Obrigado!
Abcs!


#13

O gráfico de cotação da itausa está com alguma incosistência?


#14

Oi @egidioely
olhei agora na plataforma, e está ok!

https://plataforma.penserico.com/dashboard/cp.pr?e=ITSA3


#15

COMUNICADO AO MERCADO

Aquisição de Participação na Nova Transportadora do Sudeste

Itaúsa – Investimentos Itaú S.A. (“Itaúsa”), em atendimento ao disposto no artigo 157, parágrafo 4º da Lei nº 6.404/76 e na Instrução CVM nº 358/02, comunica ao mercado a aquisição de participação na Nova Transportadora do Sudeste S.A. – NTS (“NTS”), empresa controlada pela Nova Infraestrutura Fundo de Investimentos em Participações (“FIP”), fundo gerido pela Brookfield Brasil Asset Management Investimentos Ltda.

A Itaúsa adquiriu sua participação na NTS pela compra de ações detidas pelo FIP, seguindo os mesmos termos e condições da operação formalizada entre o FIP e a Petróleo Brasileiro S.A. (“Petrobras”), que foi concluída na data de hoje. A operação entre FIP e Petrobras foi divulgada pela Petrobras em 23/09/2016, 31/10/2016, 30/11/2016 e 04/04/2017.

O valor do investimento pela Itaúsa nesta aquisição foi de US$ 292,3 milhões e resultou em uma participação final de 7,65% no capital social da NTS. Do valor investido, R$ 696,9 milhões foram pagos na data de hoje e US$ 72,3 milhões serão pagos em 5 anos a ser atualizado no período. Além da participação na NTS, a Itaúsa também adquiriu do FIP, nesta data, debêntures conversíveis em ações emitidas pela NTS, com vencimento em 10 (dez) anos e no valor total de R$ 442,1 milhões.

A NTS é detentora de autorizações para operação de 2.050 km de gasodutos na região Sudeste e tem 100% da sua capacidade de transporte de 158,2 milhões de m³ por dia contratada com a Petrobras através de cinco contratos de longo prazo na modalidade firme (“ship-or-pay”). As autorizações têm vencimento a partir de 2039 e os contratos de transporte atuais têm vencimento entre 2025 e 2031. Os gasodutos da NTS conectam Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo (regiões responsáveis por aproximadamente 50% do consumo de gás no Brasil) ao gasoduto Brasil-Bolívia, aos terminais de GNL e às plantas de processamento de gás. A companhia tem suas tarifas reguladas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), as quais são anualmente reajustadas pelo IGP-M.

A Itaúsa terá o direito de indicar um membro ao conselho de administração da NTS (de um total de até 10 membros) e participará do acordo de acionistas juntamente com o FIP e a Petrobras.

Não se espera que esta operação acarrete efeitos significativos nos resultados da Itaúsa neste exercício social. Por meio desta operação, a Itaúsa reafirma sua confiança no futuro do Brasil e reforça o seu compromisso com a criação de valor para seus acionistas.


#16

#17

PRESS RELEASE: Itaú anuncia investimento na XP
Geraldo Samor

http://www.braziljournal.com/press-release-itau-anuncia-investimento-na-xp


#18

#19

Essa notícia deveria ser boa ou ruim para a empresa? vide que suas ações não oscilaram muito no dia de hj


#20

acredito que tudo vai depender do preço que ela for ofertar.