Tributação Imposto investimento no exterior - dúvidas

Olas,

Estou avaliando começar a investir no exterior. Devo começar pela DriveWealth. Antes de começar quero entender bem a questão da tributação pra não ter dor de cabeça depois. Já li alguns artigos a respeito mas algumas coisas não estão claras.

1 - Tributação nos USA na fonte se refere apenas a dividendos certo? A bitributação não é permitida, mas não há nenhuma vantagem desse caso, já que serei tributado em 30% lá, é isso?

2 - Li que em alguns casos pode se transformar os dividendos em aumento de cotas. Neste caso não incide o imposto de 30%?

3 - E aqui no Brasil, só pago imposto em transação acima de 20.000? Nessa caso uso o carne-leão?

4 - No fim, se não ocorrer vendas acima de 20.000 em cada mês, apenas declaro as operações no ajuste anual?

5 - As regras para açoes e REIT são semelhantes ou há diferenças?

Agradeço a atenção de quem me tirar essas dúvidas. Algumas são mais confirmações, rs.

1 Curtida

Esse link esta quebrado.

O link é o primeiro (“Investimento exterior”), que é um tópico sobre. (Não o link dentro do link).

Segue abaixo artigo acerca do assunto:

Vou dar um “ress” nesse tópico pra ver se a gente consegue concentrar aqui as dúvidas de impostos sobre investimento no exterior.

1 Curtida

Vou deixar um vídeo que, apesar de ser da Avenue, acredito ser bem útil.

Também deixo um link de um PDF bem legal:
https://mega.nz/file/dBAmTTaK#lPGJH8WTX2U6DYuzObZT1hnYRELAnsHTM9tbPQ9TAYg

2 Curtidas

pessoal, se eu somente comprar ações/ETFs lá fora e não vender nada, preciso preencher algo no GCAP todo mês ou algo parecido? Ou é só se receber dividendos acima daquele limite de isenção, de R$1900 e poucos?

Sempre que eu comprar algo lá fora ou receber dividendos, eu preciso anotar também o valor do dólar do dia pra fins de IR?

Entendo que dividendo não tem limite de isenção. A questão é que os EUA já tributa 30% e tem um acordo de não bi-tributação, então não é necessário pagar aqui. Mas se fosse necessário, acho que seria via carnê-leão.

Sobre a questão do dólar, a regra é diferente pra compra/venda e dividendos.
Pra compra, vc tem que pegar o PTAX de venda, e na venda o PTAX de compra, e sempre no dia da liquidação da operação (D+2).
Pra dividendo, vc usa o PTAX de compra do último dia útil da primeira quinzena do mês anterior ao recebimento.

2 Curtidas

que rolo… só não comecei a investir lá fora por medo de declarar as coisas errado eheh

Cara, reza a lenda que a Avenue e a Passfolio entregam relatórios detalhados para efeitos de IR aqui no Brasil, desde que você mande dinheiro por eles. Avenue cobra um spread caro, a passfolio é mais acessível.
Eu tenho problema de confiar em corretoras pra me passar essas informações, então prefiro estudar e montar minhas planilhas pra fazer por conta própria. Abri conta no exterior no mês passado mas estudei tudo antes pra isso.

Só tem que tomar cuidado se receber dividendos de ativos que tributem menos que o Brasil.
Basicamente se for coisa fora dos US.

Mais ou menos assim o que entendi:

  • No Brasil vão te tributar (salvo engano) 27,5% dos dividendos que receber.
  • Se o ativo for americano, lá já vão tributar 30%. Como é maior que os 27,5% daqui… tá pago.
  • Se o ativo for de outro lugar que tribute menos que os 27,5% daqui… aí não sei como ajusta a diferença.

Ativos do Canadá parece que corre esse risco.

Foi até aí que entendi…

1 Curtida

@sr_fouquet

Consegue mover essa dúvida para o tópico de imposto internacional?

Obrigado… :wink:

é isso mesmo… um amigo meu foi na onda de comprar ETFs irlandeses e esqueceu de filtrar de acumulação.

Teve que pagar IR aqui sobre os dividendos.

1 Curtida

Pronto, no tópico de BDRs eu havia postado uma tabela com a taxação de dividendos por país, está nas mensagens recentes. Um ponto até é que a bolsa as vezes descuida disso quando é BDR de ADR. Recentemente deram um informe de dividendos dizendo que havia 0% sido recolhidos, quando só de fazer a conta dava para ver que tinha sido recolhido bastante. Mandei um email e corrigiram mas é bom ficar esperto.

Obrigado. :heart_eyes:

Minha maior dúvida até hoje é algo que poucos pensam, mas eu me preocupo… e atualmente não estou com tempo ou saco pra estudar ou procurar a respeito: como funciona a herança, no caso de eu ter investimentos ou bens nos EUA e morrer? No Brasil sabemos que cada estado tem sua alíquota e provavelmente se minha família fizer um inventário de meus bens vai constar lá todos os ativos que tenho em corretoras no Brasil… então tudo funciona “num processo só”. Se eu tivesse bens fora do país provavelmente meus herdeiros sofrerão um pouco pra receberem isso, não? Quem sabe até terão que contratar alguma empresa especializada nisso, pagar por documentos e despachos internacionais… enfim, eu tenho a impressão (só impressão mesmo, pq não fui atrás) de que é um processo muito caro.

Sugiro esse vídeo

E tem uma live também para mais dúvidas:

2 Curtidas

Obrigado!

1 Curtida