Exterior - Renda Fixa, Juros e Inflação

Títulos pós-fixados

Lá não tem a “moleza” que tem aqui, de investir em títulos indexados à taxa básica de juros, que não apresentam volatilidade antes do vencimento e rendem mais caso os juros subam.

Com raríssimas exceções, os títulos lá, tanto públicos quanto privados, são prefixados, e o investidor está permanentemente sujeito a sofrer perdas caso venda os seus títulos, antes do vencimento, em um cenário de juros ascendentes.

Títulos prefixados:

  • Bills: Duração de até um ano. Não possui cupons semestrais;
  • Notes: Duração de dois a 10 anos com cupons semestrais;
  • Bonds: Duração de 10 a 30 anos com cupons semestrais.

Títulos atrelados à inflação (equivalente à NTN-B):

  • Tips (Treasury Inflation-Protected Securities): Duração de 5, 10 ou 30 anos. Paga cupons semestrais.

ETFs que investem em Treasuries fugindo dos tradicionais prefixados:

PÓS-FIXADO

https://www.etf.com/etfanalytics/etf-comparison/USFR-vs-TFLO

LONG ALAVANCADO

7-10 anos (par com IEF):

  • TYD: 2x alavancagem
  • UST: 3x alavancagem

20+ anos (par com TLT):

  • UBT: 2x alavancagem
  • TMF: 3x alavancagem

SHORT/INVERSE

7-10 anos (par com IEF):

  • TBX: sem alavancagem
  • PST: 2x alavancagem
  • TYO: 3x alavancagem

20+ anos (par com TLT):

  • TBF: sem alavancagem
  • TBT: 2x alavancagem
  • TTT e TMV: 3x alavancagem

TIPS (INFLAÇÃO):

  • SCHP: TIPS de 1 à 20+ anos bem distribuídas - mais volátil por essa razão. Menor Tx.Adm.: 0,05%.
    Opções:

    • TIP: taxa de 0,19%. Rendimento pior que o SCHP.
    • SPIP: taxa de 0,12%. Rendimento pior que o SCHP e TIP.
    • TIPZ: taxa de 0,20%. Rendimento próximo do SCHP, mas um pouco aquém e mais volátil.
    • GTIP: taxa de 0,12%, AUM menor que 100M e bem recente. Rendimento muito próximo a seus pares.
  • TDTT: TIPS de 1 à 10 anos, com média de 3.

  • TDTF: TIPS de 3 à 20 anos, com média de 5.

  • IVOL:

    • Não é só TIPS (que faz via SCHP), tem uma estratégia com opções.
    • Num mercado lateralizado as opções comem parte do rendimento.
    • Recente.
1 Curtida

Muito TOP…

Pra quem tiver curiosidade, essas taxas podem ser encontradas aqui:

1 Curtida

Análise de 3 semanas atrás:

Continuando minhas análises da renda fixa americana, notei o seguinte padrão:

  • Área cinza: taxa de juros oficial do FED.
  • Amarelo: taxa dos títulos de 2 anos.
  • Verde: taxa dos títulos de 5 anos.
  • Preto: taxa dos títulos de 10 anos (usado como referência de juros futuros).
  • Azul claro: taxa dos títulos de 30 anos.

O gráfico está em valores absolutos e por agregação mensal.

A primeira coisa que podemos notar, é que quanto mais longo o título, maior o “lag” para ele ir na direção da taxa de juros oficial.
Isso é bem fácil de ver nos títulos de 30 anos.

Contudo, não foi isso que me chamou a atenção, e sim, o fato de que toda vez que a taxa de todos os títulos se “comprime” (setas vermelhas), a taxa de juros oficial cai bastante logo depois.
Isso mostra que nesse ponto não há mais expectativa de alta na taxa oficial, e a probabilidade dela cair é grande (se não houver nenhuma crise grave, etc…).

Os mais atentos devem ter percebido que estamos rumando para uma possível repetição desse padrão.

Ok… e como isso pode me fazer ganhar dinheiro?

Vejam o que acontece com o ETF TLT, que investe somente em treasuries com maturidade de 20 anos ou mais, comparado com os juros dos bonds de 30 anos (não achei um ticker legal dos bonds de 20 anos):

Toda vez que a taxa de juros cai, o valor dos títulos sobem, e vice-versa.
Isso é o normal em renda fixa. Quem não conhece esse efeito é só pesquisar na internet que vai achar as devidas explicações.

Se houver a repetição do padrão que mencionei acima, podemos estar num momento semelhante a esse aqui:

Vejam o estágio atual:

Então, de forma resumida, pode ser interessante acompanhar o movimento dos juros futuros e, confirmando o padrão, fazer uma “fézinha” em bonds de longo prazo (10+ anos… eu prefiro 20+ anos).

Se pegarmos a última repetição do padrão…

Após a última redução dos juros, o TLT subiu quase 50%:

O FED já disse que não aumenta a taxa de juros até 2023, então, podemos estar vivendo um momento como esse aqui:

Nesse caso não haverá a “compressão” de todas as taxas, mas ainda assim, a parte “longa” da curva de juros (os títulos com maior duração) vai chegar próxima do limite do razoável para a situação da economia americana.

Se for esse o caso, e o juros longos ficarem de lado, não teríamos um ganho de capital expressivo e consistente, mas teríamos um carrego interessante. Isto porque os títulos de 20 anos já estão pagando mais do que 2% a.a.

Se pensar que a SELIC paga isso, e lá estaríamos expostos em dólar, pode ser interessante.
Aqui vale a ressalva que as treasuries americanas são títulos pré-fixadas e o Tesouro Selic é pós-fixado.
De qualquer forma, acho válido a comparação se pensar em dinheiro que deixaria parado aqui pra reserva de oportunidade.

Se definirmos um % fixo para equity e renda fixa, tipo 80/20, podemos “tradear” essas variações, principalmente se o padrão se repetir (“compressão” e alta dos juros oficiais).

Fora que os bonds costumam servir como hedge nos momentos de maior stress.

Enfim… acho que temos uma chance concreta de fazer algum dindin com RF americana.

7 Curtidas

1 Curtida

Eu tô de olho diariamente nas taxas e tentando aprender mais pra tentar achar um bom timing pra entrar em algum ETF de RF.

Hoje fiz um estudo com TLT nessa linha, buscando pontos de entrada e saída.
Mais ou menos como esse gráfico: subiu X, vende, caiu Y, compra… em paralelo de olho nos juros básicos.

O problema é que tem 30 anos (essa janela de tempo que você postou) que a taxa de juros vem caindo, e o período anterior de alta era uma outra realidade de mundo, crise do petróleo, etc…

Agora a taxa já chegou no zero.
(Tudo bem que já inventaram o juro negativo, kkk… mas não me parece que os US vão furar essa barreira.)
Então, não sei se vai se repetir o efeito de toda vez que a taxa voltava de uma queda, era menor que a volta anterior.

Será que continua sobe, cai, sobe, cai?
Ou sobe, estabiliza, sobe de novo?
Se acontecer o segundo caso, aí vira uma “trap”.

Minha ideia é pegar o meu hedge em fundo cambial e migrar pra RF lá fora “tradeando” esses movimentos das taxas.

Essa última queda de 22% do gráfico não da ainda pra saber se realmente é o ajuste para o próximo aumento de juros, ou, uma cópia do taper tantrum de 2013.
De qualquer forma, já é um ponto de muita atenção pra entrada… :blush:

1 Curtida

Não li ainda…

Taxa de 30 anos parou de crescer.
De 10 anos está querendo fazer novo recorde (dentro da alta atual).
De 5 anos subindo mais que as acima.

Talvez tenha chegado num patamar que o mercado entenda que não vai além.

Continuemos acompanhando…

1 Curtida

Bela caída hein…

Me too… (guardadas as devidas proporções :grin:)

1 Curtida

Olho no lance…

2 Curtidas

Com o FED confirmando alta de juros ainda esse ano, os títulos de 2 anos se moveram.

Agora é acompanhar e tentar “adivinhar” o topo da taxa pra entrar num TLT da vida.

2 Curtidas